Discussão:FreeBSD Handbook/Arquivo LQT 1

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Esta é uma página LiquidThreads que foi arquivada. Não edite o conteúdo desta página. Por favor direcione quaisquer comentários adicionais à página de discussão atual.


Uso Desta Página[editar código-fonte]

Pretendo usar esta página para acompanhamento do andamento dos trabalhos neste livro como um todo e não somente no índice. Aqui controlarei o que está sendo feito, o que há por fazer e o que foi modificado no conteúdo original do livro em inglês, pois certamente acrescentaremos conteúdo, alteraremos e ajustaremos a medida que formos prosseguindo.

Andamento[editar código-fonte]

O Andamento foi colocado em página própria, pois pode sofrer muitas atualizações, atrapalhando o histórico de outras coisas.

Alterações no Texto Original[editar código-fonte]

Nas alterações mostradas abaixo o texto alterado ou acrescido é mostrado em verde.

Seção 2.2.1.1[editar código-fonte]

Acrescentei nota sobre a instalação em arquiteturas i386 onde menciono possibilidades de flexibilidades para usuários avançados conseguirem instalar com menos recursos (processador, memória e disco)

 2.2.1.1 Arquiteturas i386 e pc98
 
       As duas versões de FreeBSD para i386 e pc98 precisam de um processador 486 ou melhor e pelo menos 24 
       MB de RAM. Você precisará ainda de pelo menos 150 MB de disco livre para a instalação mínima.
 
           Nota: Estes requisitos se referem à instalação feita com as mídias disponíveis pelo projeto. Elas 
           são criadas para atender a imensa maioria dos casos. O FreeBSD, porém, possui flexibilidades e
           pode ser instalado em computadores mais antigos, como PCs 386 e em discos menores, porém isso será
           uma atividade que exigirá maior conhecimento do sistema para personalizá-lo. Outra opção para
           instalar com menos requisitos é usar uma versão mais antiga do FreeBSD. No caso de configurações
           mais antigas, na maioria das vezes conseguir mais RAM e espaço em disco é mais relevante do que um
           processador mais rápido.

Seção 2.3.3.1 - 3 alterações[editar código-fonte]

Texto original: "A minimal installation of FreeBSD takes as little as 100 MB"

  • Pouco antes mencionara 150 MB como requisito mínimo de disco... meu jailbase tem 116 MB basicamente com o base.??. Aumentei os números em 50MB.
  • Seria legal atualizar o exemplo, que menciona um disco de 4G, algo não mais encontrado no mercado para venda. Passei para discos de 80GB.
  • Exemplo 2.2, acrescentei obs na segunda opção: "sem necessidade de reinstalação."

Seção 2.4[editar código-fonte]

Incluídas algumas imagens adicionais, que antes eram representadas por texto pré-formatado. Passei de 4 figuras na seção para 8 a partir da captura das telas de instalação.

Seção 2.6.3[editar código-fonte]

Sobre instalação de boot manager, achei que o texto original dá certa impressão de que só é possível instalar o boot manager nativo e muitas pessoas que vem do linux já conhecem outros, então alterei:

Traduzi de:

You now have the option to install a boot manager. In general, you should choose to install the FreeBSD boot manager if

Para:

Agora você tem a opção de instalar um gerenciador do processo de inicialização do sistema, ou um gerenciador de boot como é conhecido. O gerenciador disponível durante a instalação do FreeBSD é um gerenciador nativo, mas outros poderiam ser usados. Aqueles que tiverem tal conhecimento podem lançar mão do uso de gerenciadores como o lilo ou grub após a instalação do FreeBSD. É indicado instalar um gerenciador de inicialização, se:

Seção 11.5[editar código-fonte]

Uso do nome completo das seções nos links:

  • "Seção 11.7 - Usando rc no FreeBSD" ao invés de apenas "seção rc"
  • "Seção 27.2 - O Super Servidor inetd" ao invés de apenas "seção inetd"

Seção 11.6[editar código-fonte]

Traduzi de:

If HOME is omitted, cron will use the invoking users home directory.

Para:

Se o HOME for omitido, o cron usará o diretório home do usuário dono do arquivo crontab, no caso de crontab de usuário, ou do usuário definido no sexto campo (who), no caso de crontab do sistema.
  • No terceiro asterisco incluí entre parêntesis as possibilidades de valores que as opções do cron podem assumir.

Apêndices[editar código-fonte]

Colocação do "Glossário" como Apêndice E, criação do "Glossário da Tradução" como Apêndice F para padrões de tradução de texto e criação do Apêndice G, com outros padrões adotados na publicação aqui do wiki.

Propostas de Alteração no Texto Original[editar código-fonte]

Item "2.3.3.1 Disposições de Disco no i386"[editar código-fonte]

Texto original: "FreeBSD deve obrigatóriamente ser instalado em uma partição primária."

Questiono a afirmação. Se um boot manager já reconhecer partições lógicas ou secundárias é possível bootar por elas. Sugestão de nota:

       Nota: Essa obrigatoriedade se refere ao FreeBSD como é distribuído. Como em diversas outras
       ocasiões, é possível "burlar" o obrigatório. O Grub, por exemplo, é um boot manager
       capaz de reconhecer tanto partições secundárias como lógicas e possibilitaria a
       instalação do FreeBSD nestes tipos de partição. Isso seria, porém, uma tarefa avançada
       e não recomendada aos iniciantes.

Ainda no Item "2.3.3.1 Disposições de Disco no i386"[editar código-fonte]

Texto original:

 Caso esteja utilizando todas as partições primárias de todos seus 
 discos, então será necessário liberar uma delas para o FreeBSD, 
 utilizando as ferramentas oferecidas pelo sistema operacional que você
 utiliza (por exemplo, fdisk no DOS ou Windows).

Pode se utilizar ferramentas num live CD também, além de colocar o disco em outro micro como secundário para usar as ferramentas deste outro equipamento

Sugestão:

       Em algumas situações onde não se deseja ou não é possível 
       utilizar as ferramentas existentes no sistema existente, é
       possível lançar mão de live CDs. Live CDs são sistemas
       operacionais que rodam diretamente do CD, sem necessidade de 
       instalação prévia dos mesmos na máquina. Muitos são construidos
       com diversas ferramentas de administração que podem possibilitar
       este trabalho. Um exemplo é o "FreesBIE", um live CD baseado no
       FreeBSD e disponível em http://www.freesbie.org/.

Seção 2.3.7[editar código-fonte]

A frase original já é antiquada demais: "Most modern computers can also boot from a CDROM in the CDROM drive." Deixei traduzido emendando com a frase anterior: "... é possível configurar o sistema de modo a fazer uso de um disquete “inicializável” ou mais normalmente um CD ou DVD.". Sugiro, porém, uma adequação maior da coisa como um todo, indicando disquetes como uma opção para hardwares mais antigos, que não bootem via CD. Como está parece claro que a doc é antiga e foram emendando para adequar a modernidade. Já tem que reescrever...

Ainda nesta seção, a nota "Importante" me parece obsoleta, pois não creio que algum navegador moderno ainda terá problemas para baixar imagens de disquete em modo texto via FTP. A sugestão seria apenas suprimir a nota, ou mencionar como algo raro em situações específicas:

 Importante: O programa FTP que você for utilizar deve usar o
 modo binário para baixar as imagens de disquete da 
 Internet. Alguns navegadores WWW conhecidamente utilizam modo texto text 
 (ou ASCII), o que se tornará claro quando perceber que não pode
 inicializar o sistema por meio destes discos.

Ainda na Seção 2.3.7, item 2 - Prepare os disquetes[editar código-fonte]

A recomendação de formatação é extensa e pouco útil na minha opinião. Não detalha a necessidade de fazer uma formatação completa para verificar erros, menciona que a formatação do windows é ruim mas não dá alternativa e no final das contas para gerar os disquetes será necessário sobrescrevê-los completamente, incluindo a formatação. Talvez uma ferramenta que extraia a imagem do disquete, no estilo dd, para windows fosse o mais recomendável. Enfim, novamente acho que a seção toda (ou o capítulo) deveria ser reescrita... disquete vai ser usado em casos raros hoje em dia...

Seção 16.10 - Módulo partition do MAC[editar código-fonte]

Trecho aparentemente mal escrito referindo-se a classe "insecure" acima e não se acha tal classe:

  "For instance, a user in the insecure class above will not be permitted to
  access the top command as well as many other commands that must spawn a
  process."

Dúvidas[editar código-fonte]

Seção 16.11 - Módulo MLS do MAC[editar código-fonte]

Não entendi com claresa a frase: "In addition, this label will prevent objects of a higher clearance level from writing or passing information on to them."

Seção 16.14.4 - Crie o Arquivo de Contextos[editar código-fonte]

Parece estar incorretamente repetida a linha de comandos:

 # setfsmac -ef /etc/policy.contexts /

Que aparece duas vezes sem qualquer diferença entre as mesmas.