Saltar para o conteúdo

Carvalho/Aspectos culturais

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Ir para o capítulo anterior: Usos Carvalho Ir para o próximo capítulo: Conclusão

O carvalho foi uma árvore sagrada para muitos povos antigos. Para os antigos gregos, era a árvore de Zeus, o principal deus. O primeiro oráculo grego a ser estabelecido foi o de Dodona, no Épiro, que tinha como centro uma árvore sagrada de carvalho que respondia às questões a ela formuladas através do ruído de suas folhas e dos pássaros que nela habitavam. A interpretação dos ruídos era feita pelos sacerdotes[1].

Tetradracma do século três antes de Cristo de Lokroi, na Magna Grécia, mostrando a efígie de Zeus com uma coroa de folhas de carvalho
Ruínas do oráculo de Dodona

Para os povos germânicos, era a árvore do deus do trovão, Thor. Em 723, o santo católico São Bonifácio derrubou um carvalho sagrado perto da moderna cidade alemã de Fritzlar que era dedicado a Thor. São Bonifácio utilizou a madeira do carvalho para construir uma capela no lugar da atual catedral de Fritzlar. Tal fato é reconhecido como o início simbólico da cristianização da Germânia.

O deus Thor em gravura de Lorenz Frolich de 1907
Gravura do século dezoito mostrando São Bonifácio derrubando o carvalho dedicado a Thor

Os antigos sacerdotes celtas, os druidas, se reuniam nos bosques de carvalho. Uma das interpretações para a palavra "druida" é a de que significava "conhecimento do carvalho". O carvalho era a árvore sagrada dos celtas. O visgo (Viscum album) que crescia sobre os ramos de carvalho era especialmente sagrado para os celtas e era colhido com uma foice de ouro e usado em cerimônias religiosas[2].

Ilustração de 1723 mostrando um chefe druida segurando um ramo de carvalho

O carvalho é a árvore símbolo da França[3], da Alemanha, da Estônia, da Inglaterra, da Moldávia, da Lituânia, da Letônia, da Polônia, dos EUA, do País Basco, da Galícia, do País de Gales, da Bulgária e da Sérvia. Os bascos tradicionalmente realizavam suas assembleias debaixo de carvalhos. Atualmente, o presidente do País Basco jura respeitar as leis bascas debaixo de um famoso carvalho: o carvalho de Guernica. Na antiga mitologia eslava, o universo estava contido dentro de um gigantesco carvalho.

Brasão da França, com um ramo de carvalho à direita
Rei espanhol Fernando, o católico, recebendo a assembleia debaixo do carvalho de Guernica em 1476
Antigo carvalho de Guernica

Tradicionalmente, o carvalho é um símbolo de força e resistência, pois é uma árvore imponente e de grande longevidade. Nesta acepção, faz parte de muitos brasões de localidades.

Brasão da municipalidade de Eichberg, na Suíça
Brasão de Cattenstedt, na Alemanha
Brasão da cidade do Rio de Janeiro. A folha da direita é de carvalho.

Existem muitos carvalhos famosos. Por exemplo, o de Ashford, em Connecticut, nos EUA; o de Anne Arundel, em Maryland, nos EUA[4]; o de Hartford, em Connecticut, EUA, onde teria sido escondido um importante documento histórico da história do país: a carta patente da colônia de Connecticut[5] etc.

O grande carvalho de Sherwood, na Inglaterra
O carvalho de Mamre, na Palestina, onde o Abraão bíblico teria se encontrado com três anjos
Carvalho de São Méen, na Bretanha, na França. Segundo a tradição, doenças de pele podem ser curadas molhando-as com um pano embebido na fonte próxima à árvore e pendurando-se o pano no carvalho.
Desenho de 1755 representando o carvalho de Allouville, na Normandia, datado do século nove e tido como o carvalho mais antigo da França. Acredita-se que tenha testemunhado a passagem das tropas de Guilherme, o conquistador, que invadiram a Inglaterra em 1066.
Foto contemporânea do carvalho de Allouville
Interior de uma das duas capelas construídas dentro do carvalho de Allouville
Carvalho de Pouldu, na Bretanha, na França
Carvalho de Teux, em Gers, na França
O carvalho sagrado de Müden, na baixa Saxônia, na Alemanha

No campo da animação, as bolotas de carvalho ficaram famosas com as tâmias Tico e Teco (Chip'n' Dale) de Walt Disney e com Scrat, o marsupial pré-histórico (Leptictidium sp.) de A era do gelo (Ice age). Todos eles passam a maior parte do tempo procurando por bolotas de carvalho[6].

Tâmia (Tamias sp.) apoiando-se em um carvalho
Fóssil de Leptictidium sp.

Os carvalhos também costumam ser usados como tema em obras de arte, especialmente na Europa.

Desenho para um vitral, de Hans Holbein o jovem (1498-1543), representando um rebanho de porcos se alimentando de bolotas de carvalho
Friso art nouveau dinamarquês de 1911 representando folhas e bolotas de carvalho
Escultura de Onno de Ruijter na cidade neerlandesa de Aa en Hunze representando folhas e bolotas de carvalho
Baixo-relevo na igreja de Santa Maria dos milagres, em Bréscia, na Itália
Símbolo no formato de um carvalho de uma antiga loja de rolhas de cortiça em Paris
Antiga cédula alemã de cinco marcos com ramos e bolotas de carvalho
Chuva em uma floresta de carvalhos, pintura de 1891 de Ivan Shishkin

Referências