Cabo Verde/História

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
< Cabo Verde
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mapa francês de Cabo Verde (1746)

O arquipélago de Cabo Verde foi descoberto pelos portugueses em 1460. As primeiras ilhas a serem povoadas foram as de Santiago e Fogo. A mão de obra escrava era oriunda da vizinha Guiné.

Na Ilha de Santiago foram plantados a cana-de-açúcar, algodão e árvores frutíferas, e a de Fogo apresentou condições para o plantio da vinha.

O clima semelhante ao desértico do arquipélago causou o seu desenvolvimento, assim como a sua localização no âmbito das rotas atlânticas entre a Europa, a África e a Ásia. O arquipélago tornou-se um entreposto comercial e de aprovisionamento. Durante o século XVI, apareceram dificuldades de aproveitamento agrícola nas ilhas. Os seus principais produtos de exportação eram couros, cavalos, açúcar, sebo, algodão, aguardente, uvas, figos e melões, além da reexportação de tecidos para a África.

Em 1712, corsários franceses sob o comando de Jacques Cassard assaltaram e destruíram grande parte da Ribeira Grande, causando a mudança da capital para Praia em 1769. Entre 1831 e 1833, houve uma grande fome no arquipélago, causando a morte de milhares de pessoas.

Na década de 1870, os produtos de exportação eram tartarugas, milho, aguardente, tabaco, âmbar, óleo, sementes de purgueira e sal. A exploração de urzela, tartarugas, âmbar e dragoeiro era monopólio da coroa. Em 1876, o tráfico de escravos foi abolido, causando o decrescimento do interesse pelo arquipélago.

Em 1881, cabos telegráficos submarinos foram trazidos à Praia.

Em 1956, Amílcar Cabral fundou em Bissau o PAIGC (Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde). Após a Revolução dos Cravos em Portugal em 1974, Cabo Verde obteve a sua independência em 5 de julho de 1975.

Cabo Verde e Guiné-Bissau tornaram-se países separados, mas governados pelo mesmo partido, o PAIGC. Aristides Cabral tornou-se o primeiro presidente de Cabo Verde. Houve uma tentativa de união política entre Cabo Verde e Guiné-Bissau, mas fracassou em 1980 por causa de um golpe militar. A ala cabo-verdiana do PAIGC rompeu com a da Guiné-Bissau e foi formado em Cabo-Verde o PAICV (Partido Africano para a Independência de Cabo Verde). Em 1990, entrou em vigor o multipartidarismo no país, e uma constituição multipartidária entrou em vigor em 1992.