Budismo/Críticas ao budismo

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Thomas Hobbes

O budismo tem, como fundamento de sua doutrina, a extinção do desejo. Porém muitos pensadores renomados defendem que tal objetivo é simplesmente impossível e mesmo não desejável, dada a natureza do homem. O filósofo inglês Thomas Hobbes (1588-1679), por exemplo, relacionava a felicidade ao desejo, o qual nunca seria totalmente satisfeito, pois sempre mudaria de um objeto para outro [1]. No mesmo sentido, o filósofo neerlandês Espinoza (1632-1677) afirmou que o desejo é a essência do homem e que negá-lo seria negar a própria condição humana[2]. O filme estadunidense de 2004 "Antes do pôr do sol" (Before sunset), dirigido por Richard Linklater, faz a personagem Celine criticar o budismo, ao afirmar que a falta de desejo preconizada pelo budismo é um sintoma de depressão.[3]

É oportuno, aqui, lembrar que o próprio Buda encorajava os seus discípulos a terem sempre uma atitude crítica em relação a sua doutrina, questionando aquilo que não lhes parecesse correto ou condizente com a realidade. Segundo Sidarta, nenhum aspecto da doutrina deveria ser imposto à força, mas somente pela exposição lógica e convincente de ideias.[4]

Referências

  1. COMTE-SPONVILLE, A., DELUMEAU, J., FARGE, A. A mais bela história da felicidade. Tradução de Edgard Assis de Carvalho, Mariza Perassi Bosco. Segunda edição. Rio de Janeiro. Difel. 2010. p. 47
  2. COMTE-SPONVILLE, A., DELUMEAU, J., FARGE, A. A mais bela história da felicidade. Tradução de Edgard Assis de Carvalho, Mariza Perassi Bosco. Segunda edição. Rio de Janeiro. Difel. 2010. p. 160.
  3. Before sunset. Warner Bros. Entertainment Corp. 2004.
  4. Darmapada: a doutrina budista em versos. Tradução de Fernando Cacciatore de Garcia. Porto Alegre, RS. L&PM Editores. 2010. p. 18,19.