Brincadeiras a qualquer hora/Bingo

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Cartela de bingo.

Que idade?[editar | editar código-fonte]

  • A partir de 5 anos;

Quantos participantes?[editar | editar código-fonte]

  • Pelo menos dois;

O que é necessário?[editar | editar código-fonte]

  • As cartelas (que podem ser feitas com cartolina);
  • Os marcadores (que podem ser botões, feijões, milhos ou coisas pequenas);
  • Um saquinho ou pote para sortear o que estiver sendo marcado e guardar as peças quando não estiverem sendo usadas;
  • Uma caneta (para escrever e desenhar as cartelas);
  • Uma folha de papel (para escrever o que vai ser sorteado);

Objetivo[editar | editar código-fonte]

O objetivo em um bingo é preencher as casas em uma cartela de acordo com um sorteio;

Como se brinca?[editar | editar código-fonte]

  1. Cada participante recebe uma cartela e a vai preenchendo de acordo com o sorteio feito por outro jogador.
  2. Aquele que preencher primeiro toda a cartela deve gritar "Bingo!" para vencer.

Para os educadores[editar | editar código-fonte]

Bingo linguístico.

É possível utilizar o bingo no ensino de vários conteúdos, principalmente em matemática, mas também em línguas e química, sendo necessárias apenas algumas modificações nas regras.

No caso de um "bingo matemático", no lugar dos números simples, o professor pode usar multiplicações simples da tabuada ou multiplicações mais complexas para alunos que já a dominem. É possível usar também a notação científica no lugar dos números.

Para as crianças com deficiência visual, uma alternativa é fazer um bingo usando os blocos lógicos: distribuem-se alguns blocos para cada uma e então, a cada sorteio, é indicada uma ou mais propriedades dos blocos (forma, espessura, cor ou tamanho). As crianças que tiverem blocos com as características sorteadas serão as vencedoras.[1]

Já na química é possível usar o bingo no ensino da tabela periódica. O professor pode simplesmente sortear os símbolos ou pode sortear o nome dos elementos para que o aluno faça a relação e pode, à medida que os elementos forem sendo sorteados, dizer uma aplicação cotidiana dele.

Nas línguas estrangeiras o professor pode usar o bingo para ensinar quaisquer grupos de palavras e o jogo pode até mesmo ser usado durante a alfabetização das crianças. Aqui, no lugar dos números o professor deve colocar as palavras, que podem ser cores, animais ou outros, dependendo do nível da turma.

Antes da brincadeira, é possível realizar atividades manuais, como pintura ou recorte e colagem, sugerindo que elas mesmas criem as cartelas. Com os mais novos, pode-se fazer um bingo de cores, de figuras ou de encartes de supermercado.[2][3]

No caso de crianças pequenas, é preciso ser cauteloso com os objetos pequenos que forem usados para marcar os itens das cartelas.[4]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Para mais detalhes, veja SEESP (2006), p. 53.
  2. Ver, por exemplo, dos Reis (2002), p. 32.
  3. da Silva & Lira (2003), p. 70.
  4. dos Reis (2002), p. 32.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Wikipedia
A Wikipédia tem mais sobre este assunto:
Bingo