Atma e o Ferromodelismo no Brasil/Introdução

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
< Atma e o Ferromodelismo no Brasil
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Coleção de trens ATMA

Em meados dos anos 50, a hoje extinta indústria de brinquedos e acessórios domésticos ATMA Paulista lançou o primeiro trem elétrico nacional, que marcou toda uma época. Muito mais do que um brinquedo, era um hobby para as crianças e seus pais.

O principal meio de transporte da época, o trem, havia fomentado o hobby do Ferromodelismo no mundo todo, impulsionado pelo fascínio desta era secular. E, até então, seus aficionados brasileiros dependiam totalmente de produtos importados.

O Trem Elétrico ATMA logo se notabilizou pela sofisticação mecânica, suas proporções fiéis à escala HO e seu controlador elétrico (110 ou 220V). Seus concorrentes locais (Metalma, Estrela, etc) no entanto, só fabricavam brinquedos inspirados em trens, sem compromisso com detalhes, proporções e escalas consagradas pelo hobby. Eram movidos a corda ou a pilha, alguns deles exigindo a manipulação direta de botões na locomotiva, para entrar em funcionamento. Ou seja, eram apenas brinquedos infantis e não réplicas em escala dos fascinantes trens.

Na verdade, o famoso nome ATMA (e seu memorável slogan "a ATMA é ótima!") foi incorporado somente no final da década de 50, já que o nome inicial do produto era Trem Elétrico MIRIM.

Mesmo não oferecendo modelos de locomotivas e trens exatamente iguais aos vistos nas ferrovias brasileiras, e oferecendo um nível de detalhe e acabamento inferior aos importados, logo se transformou num sonho de consumo dos meninos - e seus pais! E serviu de porta de entrada para muitos se aprofundarem no hobby, que movimentava uma fervilhante indústria especializada na Europa e América do Norte.

O sucesso estrondoso do produto fez com que a empresa investisse em propaganda, e com o passar do tempo, passasse a incrementar a sua linha atingindo seu auge nos anos 60 e 70.

Mesmo com o surgimento de concorrentes nacionais em escala HO (como a Frateschi), foi fabricado até os anos 80, sucumbindo devido à estagnação da sua linha de produtos e a concorrência nacional e importada - muito mais bem acabados e com vasta linha de equipamentos e acessórios. Mas, inegavelmente, marcou toda uma época em seu segmento.