Acupuntura hoje/Acupuntura & Veterinária

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
< Acupuntura hoje
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pontos de acupuntura em suínos e um ponto equivalente em humanos.

A acupuntura veterinária é aplicação das técnicas da acupuntura e moxabustão à medicina veterinária, ou seja inclui-se nessa área do conhecimento relacionada à manutenção e restauração da saúde animal, com a prevenção e cura das doenças. [1] [2] A acupuntura veterinária uma técnica utilizada na China há mais de 2.000 anos, e existem estudos que evidenciam uma eficácia significativa de sua aplicação em uma ampla variedade de doenças, incluindo algumas condições para as quais não há nenhum tratamento convencional eficaz. [3]

Mecanismos de ação / possibilidades de interpretação[editar | editar código-fonte]

Assim como as demais aplicações da medicina tradicional chinesa no ocidente, a acupuntura veterinária tem sido estudada do ponto de vista médico-científico, com hipóteses mais ou menos confirmadas por pesquisas de evidência/ eficácia clínica [4] [5] [6] [7] e, naturalmente, também possui uma explicação no âmbito das tradições histórico-étnicas daquele país. A referência escrita mais antiga em relação a acupuntura e medicina chinesa é o Huang Di Nei-jing, uma compilação feita ao longo do tempo por diversos autores da antiguidade, iniciada por volta do século II a.C. no período da Dinastia Han [8]

No ponto de vista da antropologia cultural ou antropologia médica a acupuntura veterinária é, por extensão, o recurso terapêutico da medicina tradicional chinesa para o tratamento de animais como já referido. Os animais, nesta concepção, possuem canais de energia, que são chamados de meridianos (经络 - Jīng Luò), semelhantes aos encontrados em seres humanos, esses canais de energia se conectam aos órgãos internos, músculos, articulações, sistema nervoso, e também estão conectados entre si, fazendo uma rede em todo o organismo. Os pontos de acupuntura, (穴位) encontrados sobre os canais de energia, são áreas da pele das quais podemos afetar e alterar o fluxo de Qi ("氣"). Quando um animal está doente, existe um desequilíbrio ou interferência no fluxo de Qi. O acupunturista veterinário através da inserção de agulhas manipula o Qi do animal, estimulando específicos pontos de acupuntura, que melhorarão o fluxo energético e diminuirão o bloqueio, e, ou desequilíbrio. [9] [10] [11] [12] [13] [14]

Pontos de acupuntura dos membros dianteiros de um cão

Observe-se que nessa "estranha" (para nós ocidentais) concepção de energia, corpo e medicina, da cultura chinesa, o ideograma para animal inclui o homem (動物 dòng wù), o que é relativamente raro nos sistemas etnotaxonômicos, segundo Sterckx. [15] Este mesmo autor, assinala também, que o critério de classificação dos animais, desta cultura, também se remete, em um momento histórico específico, aos modelos correlativos de yin/yang (陰/陽) e das cinco fases ou elementos (五行) utilizados na medicina tradicional chinesa.

Felix Mann, considera que os pontos indianos dos chakras e nadir ("nadis") tem uma similar correspondência com os pontos de acupuntura e, inclusive, apresenta uma compilação realizada pelo diretor do Museu Nacional do Ceilão, Sr Deraniyagala, dos pontos (nila) em que o mahout, o condutor de elefantes da Índia, provoca várias respostas específicas do animal que conduz aguilhoando-o com vara aguçada, levantado a hipótese de possível correspondência destes com os nadis. [16]

O termo acupuntura vem do latim acus, que significa agulha, e pungare, que significa inserir, furar. Desse modo, a prática desta terapia consiste na inserção de tipos especiais de agulhas em locais precisos do corpo, visando à introdução, à mobilização, à circulação e ao desbloqueio da "Energia", além da retirada das chamadas "energias turvas" ou "perversas" - (Xie Qi), promovendo a harmonização, o fortalecimento dos órgãos, vísceras e do corpo, com o intuito de prevenir ou tratar doenças.[17]

Este método terapêutico é baseado na concepção, já bastante divulgada no ocidente de normalização de substância fundamental chamada de Qi, produzindo o fator intrínseco que traduz a resistência à doença, (Zheng Qi). A acupuntura atua harmonizando a energia vital ou Qi. [17]

Ao fazer isso, supõe-se, estabelecendo um paralelo com os conhecimentos científicos desenvolvidos no ocidente, que a inserção de agulhas em pontos específicos produz um estímulo no sistema imunológico que auxiliará na homeostasia e na capacidade de auto-cura do organismo. Tal estimulação da acupuntura também faz com que o organismo libere endorfinas e outros hormônios, ao mesmo tempo há uma diminuição das inflamações sejam elas internas ou externas.[17]

Referências

  1. International Veterinary Acupuncture Society (IVAS). What is Veterinary Acupuncture? IVAS Aces. set. 2015]
  2. KAO, Frederick F.; KAO, John J. Veterinary Acupuncture. Am. J. Chin. Med. 02, 89 (1974). URL/DOI
  3. XIE, Huisheng; WEDEMEYER, Lindsey. The Validity of Acupuncture in Veterinary Medicine American Journal of Traditional Chinese Veterinary Medicine; FEB 2012, Vol. 7 Issue 1, p35 PDF Aces. set.2015
  4. National Centre for Complementary and Integrative Health (Outubro de 2013). Traditional Chinese Medicine, National Center for Complementary and Alternative Medicine, Traditional Chinese Medicine: An Introduction. nccih.nih.gov. Página visitada em Fevereiro de 2015.
  5. WHITE, S: Electroacupuncture in veterinary medicine, San Francisco, 1984, Chinese Materiais Center, apud: SCHOEN, Allen M. Eficácia da acupuntura, a controvérsia. in: SCHOEN, Allen M. (org.) Acupuntura veterinária: da arte antiga à medicina moderna. SP, Roca, 2006 p. p.XII
  6. Chuan Y: Handbook on Chinese veterinary acupuncture and moxibustion, Bangkok, 1990, FAO Regional Office for Asia and The Pacifico apud: SCHOEN, Allen M. Eficácia da acupuntura, a controvérsia. in: SCHOEN, Allen M. (org.) Acupuntura veterinária: da arte antiga à medicina moderna. SP, Roca, 2006 p.XII
  7. HABACHER G.; PITTLER, MH; ERNST, E. Effectiveness of acupuncture in veterinary medicine: systematic review. J Vet Intern Med. 2006 May-Jun;20(3):480-8. PDF Aces. set.2015
  8. JAGGAR, David H.; ROBINSON. História da acupuntura veterinária. in: SCHOEN, Allen M. Acupuntura veterinária: da arte antiga à medicina moderna. SP, Roca, 2006 (Cap I)
  9. XIE, Huisheng; PREAST Vanessa. Xie's (eds) Veterinary Acupuncture. Oxford, UK. Blackwell Publishing, 2007 Google Books Aces. Set. 2007
  10. Cantwell, Shauna L. Traditional Chinese Veterinary Medicine: The Mechanism and Management of Acupuncture for Chronic Pain. Topics in Companion Animal Medicine , Volume 25 , Issue 1 , 53 - 58
  11. HWANG, Yann-Ching; LIMEHOUSE, John H.B. Atlas de acupuntura canina. in: SCHOEN, Allen M. (org.) Acupuntura veterinária: da arte antiga à medicina moderna. SP, Roca, 2006 (Cap.9)
  12. FLEMING, Peggy. Atlas de transposição de acupuntura equina. in: SCHOEN, Allen M. (org.) Acupuntura veterinária: da arte antiga à medicina moderna. SP, Roca, 2006 (Cap.31)
  13. LIN, jen-Hsou. Atlas de transposição de acupuntura equina. in: SCHOEN, Allen M. (org.) Acupuntura veterinária: da arte antiga à medicina moderna. SP, Roca, 2006 (Cap.42)
  14. FOWLER, Murray E.; MIKOTA,Susan K. Biology, Medicine, and Surgery of Elephants. Iwoa, Blackwell Publishing, 2006. Google Books, acesso, set.2015
  15. STERCKX, Roel. Animal Classification in Ancient China. East Asian Science, Technology, and Medicine, [S.l.], p. 26-53, jan. 2005. ISSN 1562-918X. Available at: <http://www.eastm.org/index.php/journal/article/view/116>. Date accessed: 05 Sep. 2015.
  16. MANN, Felix. Acupuntura, segredos da medicina oriental. (apresentação de Aldous Huxley). RJ, Forum Editora LTDA, 1972
  17. 17,0 17,1 17,2 SCOGNAMILLO-SZABO, Márcia Valéria Rizzo; BECHARA, Gervásio Henrique. Acupuntura: histórico, bases teóricas e sua aplicação em Medicina Veterinária. Cienc. Rural, Santa Maria , v. 40, n. 2, fevereiro de 2010. Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-84782010000200040&lng=en&nrm=iso>. access on 06 Feb. 2015.