Acupuntura hoje/Acupuntura & Psicologia

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Área de atuação profissional

Acupuncture1-1.jpg

Talvez seja impossível separar exatamente onde começa e termina cada segmento do conhecimento tradicional, associável aos diversos campos teóricos e de atuação profissional dos técnicos de saúde mental do ocidente. Contudo o caminho para essa realização venha a partir das limitações impostas pelos órgãos oficiais de regulamentação profissional da medicina psiquiátrica e psicologia principalmente porque na perspectiva oriental não existe acupuntura e sim medicina tradicional chinesa (MTC) que sequer pode ser isolada do idioma e cultura chinesa sem risco de perda de sua eficácia e poder explicativo.

Contribuições da psicologia à acupuntura[editar | editar código-fonte]

Acupuntura essencialmente é uma ciência de estímulos/ estimulação. No mundo ocidental estímulos foram estudados por disciplinas como a psicologia fisiológica e psicofísica desde o nascimento da psicologia como ciência destacando-se as contribuições de Wilhelm Wundt (1832 -1920), Gustave T. Fechner (1801-1887) e E. H. Weber (1795-1878).

Para muitos autores há notável semelhança entre a acupuntura e reflexo-terapia, essa última tem origem associada às descobertas do reflexo por I. Pavlov (1849-1936). A acupuntura se assemelha a esse campo do saber especialmente nos estudos sobre o condicionamento visceral ou interoceptivo.

A psicanálise contribui com o dimensionamento do fenômeno placebo e sugestão. Os estudos sobre histeria, hipnose, hipocondria e sobre as doenças psicossomáticas por Franz Alexander (1891 — 1964) são contribuições afins. Observe-se ainda que pelo menos 11 patologias, das incluídas na lista da OMS -Organização Mundial de Saúde (1980) das doenças tratáveis por acupuntura, são reconhecidas como associadas a fatores causais de natureza psicossomática, a saber: Rinite aguda; Asma brônquica; Gastrite aguda e crônica; Hiperacidez gástrica; Úlcera duodenal crônica; Colites agudas e crônicas; Constipação; Cefaléia/ Enxaqueca; Enurese noturna; Ciática, lombalgia; Artrite reumatóide.

Destaca-se também as noções de zona erógena (Sandor Ferenzi, 1873 — 1933) , bioenergética (especialmente as relações entre a energia psíquica ou aparelho psíquico e sistema neuroendócrino), além das contribuições desta escola de psicologia sobre o efeito placebo.

Contribuições orientais da MTC à psicologia[editar | editar código-fonte]

Meditação - Comparações entre Psicoterapia e técnicas de libertação, iluminação e êxtase. Uma interpretação especificamente psicológica dos mecanismos e efeitos da meditação descrita em antigos textos chineses (Tai I Gin Hua Dsung Dschi – O segredo da flor de ouro) foi realizada, na década de 30, por Richard Wilhelm (sinólogo) e C G. Jung (1875-1961).

Caracterologia - As alterações da forma física de muitas doenças foram há muito reconhecidas pela medicina. Desenvolveram-se saberes como: criminologia, frenologia e mesmo biotipologia grega que de certo modo equivalem à caracterologia / fisiognomonia chinesa.

A noção de faces e dano genético de certo modo está implícita nas noções equivalentes a de karma (indiana) na concepção chinesa o dano ou insuficiência do "Jing ou Chi ancestral" presente na identificação do retardo mental e nas recomendações do Imperador Amarelo quanto ao efeito da idade dos pais sobre a vitalidade dos conceptos, advertindo sobre o risco da geração de filhos por pais (pai e mãe) de idade avaçada.

Terapia sexual - O clássico chinês, livro do Imperador Amarelo, distingue as fases da vida humana a partir da maturidade sexual, identificada nas mudanças físicas: dos cabelos, dentes, força e capacidade de trabalho (física e intelectual) do homem e da mulher em diversas faixas etárias.

Além do Huangdi Nei Jing, há uma série de livros clássicos sobre a sexualidade tipo Fang shung shu (Conselhos para a moça jovem) análogos ao conhecido Kama Sutra indiano, onde as tradições e/ou concepções sobre técnica sexual e as fases da vida e maturação sexual são também descritas em detalhes.

Teoria das Emoções - Na cosmovisão da Medicina Tradicional Chinesa – MTC, há milhares de anos, se encontram referências aos vários ciclos e ritmos da fisiologia e comportamento dos seres vivos atualmente conhecidos. Os chineses identificavam tanto os períodos correspondsentes aos ciclos cósmicos e sazonais (maiores que 28 dias - menstrual), circadianos (que duram 1 dia), como infradianos (menores que 12 horas).

O reconhecimento da Teoria dos cinco elementos ou cinco movimentos constitui-se como uma verdadeira revolução no saber psi. Nessa proposição os sentimentos ou emoções organizam-se como um ciclo associado à atividade dos órgãos meridianos durante o dia e durante o ano. Tais emoções e sentimentos podem ser benéficos ou patógenos, quando associados aos cinco elementos da natureza, a saber: Vento (Madeira); Calor (Fogo); Umidade (Terra); Secura (Metal); Frio (Àgua) associados respectivamente à Agressividade (raiva); Alegria; Obsessão (alerta reflexivo); Melancolia (tristeza) e Medo.

Tratamento de distúrbios mentais por acupuntura[editar | editar código-fonte]

As noções de desvio de comportamento e ausência de contato com a realidade, que definem a loucura, estão presentes em todos os povos. Entre os chineses os conceitos de sábio e louco podem ser aprendidos nos provérbios de Confúcio (Analectos) ou textos de Chuang Tse e Lao Tse, a exemplo de "O velho tonto que removeu montanhas" e "Confúcio e o louco". Além disso a MTC também aborda os Distúrbios Mentais como sofrimento e dano emocional. Atribuem, sobretudo uma agressão a função do Shen geralmente causada pelo fogo, flegma ou vento. Os textos modernos, como o livro dos Quatros Institutos, já utilizam, porém aproximações aos conceitos de psicose, depressão, mania e histeria.

A Histeria é descrita como um ataque repentino, sensação de sufocamento, afonia, convulsão, síncope, um clássico distúrbio mental provocado pelo fogo, repressão de emoções, distingue-se da mania Kuang que é uma doença do vento com fígado e rins deficiente.

Observe-se que a MTC assinala a relação da Mania, como a depressão (retraimento - loucura) num quadro denominado Dian Kuang, agitar-se de modo selvagem e permanecer calmo DIAN corresponde ao ideograma de divinação, o que vem da divindade - oráculo. Essa mesma expressão de relação com o sagrado (também presente entre os gregos) é identificada na Epilepsia – Dian Xian Yang ou Dian Feng que poderia ser traduzida po “Vento de cabra louco”. A cabra é animal que sobe as montanhas com perfeição.

Nos manuais de acupuntura identifica-se para depressão (yuzheng), uma doença que possui algumas formas nitidamente associadas à distúrbios cíclicos, como a personalidade ciclóide, psicose maníaco depressiva ou depressão maior – bipolar. (Pritzker, 2003)

No livro dos 4 institutos, a depressão (estado depressivo) é causada pelo retardo de Chi e acúmulo de flegma; o distúrbio mental maníaco pode ser causado por: 1 - estase de Chi causado pela exasperação, a qual traz o fogo á tona e provoca a formação do flegma ou 2 – calor excessivo no estômago impedindo a descida do Chi prejudicial o que resulta em acúmulo de calor perturbando a mente. (Quatro Institutos, 1995)