A Secretária Moderna/Relações interpessoais

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
< A Secretária Moderna
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Um factor importante no trato com as pessoas é saber ser flexível, isto é, ter relações conforme os casos se apresentam ou conforme as pessoas são. Segundo Medeiro e Hernandes (1999) para desenvolver a flexibilidade de comportamento, exigem-se o conhecimento de si mesmo, melhor compreensão dos outros, boa convivência grupal e o desenvolvimento de aptidões para um relacionamento mais ameno com as pessoas. Quando uma pessoa compreende e aceita o seu mundo pessoal, ela se torna mais compreensiva e tolerante com o comportamento dos outros.

O profissional de Secretariado precisa trabalhar harmoniosamente com seus colegas, procurando não fazer distinção de qualquer espécie. Nesse tipo de relacionamento, deve demonstrar lealdade, confiança e bom senso. O comportamento resulta não só da nossa personalidade, mas, sobretudo das expectativas do grupo a que pertencemos e do papel que nele desempenhamos.

Dentro de uma organização ou instituição, uma das principais qualidades desejáveis no profissional de Secretariado é a capacidade de relacionar-se com os outros, superiores, colaboradores e visitantes. O fluxo uniforme e harmonioso do trabalho depende da forma como se trabalha com os outros e da forma como se influência os outros para que trabalhem com cada um.

O profissional de Secretariado procurará de todas as maneiras buscar equilíbrio emocional e evitar comportamentos que manifestam insegurança, como protestar, contra causas observações desfavoráveis de seu trabalho, fincando ofendido ou ressentido. Não deve encarar tais criticas como pessoais, mas relativas a uma parte do seu trabalho. Quem muito precisa de aprovação e reconhecimento das provas de imaturidade profissional.

O profissional de Secretariado, não se deixa abater pelo medo de fracassos porque sabe que é capaz de errar e acertar e que suas falhas não são vistas como incapacidade. Portanto, quando erra, evita situação de lamúria, manifestação de desequilíbrio emocional. Evita, sobretudo, fazer acusações e culpar alguém por seus próprios limites.