Uma História do Japão até 1334/Capítulo XX - Após a Invasão Mongol/2. O Declínio dos Regentes Hōjō: diferenças entre revisões

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
m
sem resumo de edição
Sem resumo de edição
mSem resumo de edição
 
 
Tramas contra os regentes foram descobertas de tempos em tempos durante as duas primeiras décadas do ''século XIV'', mas de alguma forma o ''Clã Hōjō'' permaneceu no poder, seu ímpeto sendo ainda mais forte do que qualquer oposição combinada. É uma das ironias habituais da história que o que causou a sua destruição não foi a ação de senhores feudais descontentes, mas uma discussão na corte sobre a sucessão ao trono - uma disputa, além disso, que resultou no testamento político do imperador aposentado ''Go-Saga'', que sempre foi um amigo fiel e apoiador dos ''Shikken'' ''Hōjō'' do seu tempo.
 
''Go-Saga'' reinou de 1242 a 1246 e esteva no poder como ''Imperador Aposentado'' até sua morte em 1272, desta forma esteve no poder quando ''Yasutoki'' (3º Shikken de 1224 a 1242), ''Tokiyori'' (5º Shikken de 1246 a 1256) e ''Tokimune'' (8º Shikken de 1268 a 1284) controlavam o ''Bakufu''. Foi o amigo mais valioso dos líderes ''Hōjō'' durante seus dias mais prósperos, quando as relações entre ''Kyoto'' e ''Kamakura'' nunca foram tão harmoniosas. No entanto, inconscientemente deu-lhes um golpe que muitos anos depois se mostraria mortal. Após o mais breve dos reinados, abdicou em favor de seu filho ''Go-Fukakusa'', que reinou de 1246 a 1259 e depois o fez abdicar em favor de seu irmão mais novo, ''Kameyama''. Kameyama foi o soberano titular de 1259 a 1274. Havia uma aparente amizade entre os irmãos, mas a discórdia oculta corroía ''Go-Fukakusa'', enquanto ''Go-Saga'' vivia, sua autoridade era tal que nenhum problema de sucessão poderia se manifestar. Seu filho favorito era ''Kameyama'', e foi para assegurar a sucessão a ''Kameyama'' que ''Go-Fukakusa'' foi obrigado a abdicar e assim se tornar o ''imperador aposentado júnior'' (e sem nenhum poder).
 
Nesta época a escolha teve a aprovação do ''Bakufu''. Deve ser lembrado que a sucessão não era regida por nenhuma regra absoluta de primogenitura, mas principalmente, se não inteiramente, pela escolha do ''imperador aposentado sênior''. Se fosse seguir o costume, no entanto, a sucessão cairia sobre o irmão mais velho e seus descendentes. Portanto, ''Go-Fukakusa'' saiu naturalmente prejudicado e sua decepção foi compartilhada por numerosos partidários na Corte. Embora nenhuma disputa fosse possível durante a vida de ''Go-Saga'', mas quando este morreu, a disputa eclodiu com grande vigor. ''Go-Saga'' havia deixado um testamento a ser aberto depois do primeiro período de luto, no quadragésimo nono dia após a sua morte. O conteúdo deste documento era tão alarmante para um lado como era agradável ​​ao outro.
99

edições

Menu de navegação