Uma História do Japão até 1334/Capítulo XX - Após a Invasão Mongol/2. O Declínio dos Regentes Hōjō: diferenças entre revisões

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
(Criou a página com "==2. O Declínio dos Regentes Hōjō== Pouco se sabe sobre o desenrolar dos acontecimentos em ''Kamakura'' na década em que se seguiu a retirada das tropas mongóis em 128...")
 
Pouco se sabe sobre o desenrolar dos acontecimentos em ''Kamakura'' na década em que se seguiu a retirada das tropas mongóis em 1284, mas parece que a capacidade de comando da liderança do ''Clã Hōjō'' deve ter se enfraquecido após a morte de ''Hōjō Tokimune'' (1251 - 1284). Ele era um homem capaz, um personagem forte, e após sua morte prematura foi sucedido como ''Shikken'' (regente do Shogun) por seu jovem filho de quatorze anos, ''Hōjō Sadatoki'' (1271 - 1311), uma escolha infeliz em um momento crítico. Embora não haja muita informação sobre ''Sadatoki'', está claro que nem ele nem nenhum de seus conselheiros eram fortes o suficiente para conter os guerreiros mais ambiciosos. Havia rivalidades de longa data, mesmo dentro do ''Clã Hōjō'', e o lapso de lealdade durante as invasões para com a regência foi o início do que mais tarde provou ser um declínio acentuado da própria regência.
 
Que existiu uma forte oposição latente aos ''Hōjō'' pode ser percebido nas crônicas de uma geração ou mais antes dos ataques mongóis. O ''Clã Miura'', com inveja do poder do ''Clã Adachi'' (ancestraisda dosqual um de seus ramos originou os ''Hōjō''), planejou uma revolta em ''1246'' e participou de uma conspiração para assassinar o Regente ''Hōjō Tokiyori'' (1227 - 1263). É verdade que a sua ascensão foi prontamente reprimida, porque o governo de ''Hōjō'' ainda era rápido e firme; mas enquanto o governo deslizava suavemente seu curso na superfície, haviam poderosos correntes de rivalidade e inveja em toda clã samurai. Enquanto a autoridade dos regentes se espalhava pelo país, seus representantes na capital e nas longínquas províncias ocidentais passavam a exercer poderes cada vez mais amplos e tendiam a se ressentir do controle de ''Kamakura''.
 
No início de ''1272'', um destacado membro do ''Rokuhara Tandai'', a temível polícia secreta comandada pelo ''Clã Hōjō'', foi condenado à morte por conspirar contra ''Tokimune'' e pouco tempo após a ''SegundoSegunda Invasão Mongol'' (1275), outro ''Tandai'' foi executado por um crime similar. Até mesmo as decisões fáceis e unânimes do ''Hikitsuke'' (Tribunal Superior) de ''Kamakura'' estavam levando a dissensões, à medida que a liderança ''Hōjō'' se deteriorava. Na época de ''Sadatoki'', a firmeza resoluta dos primeiros regentes havia desaparecido.
 
''Sadatoki'' era suficientemente capaz para cumprir suas funções, mas não herdara o alto senso de dever de seu pai ''Tokimune'', que se desgastou com seus esforços; nem mostrou o caráter sério de seu talentoso avô ''Tokiyori''. ''Sadatoki'' parecia estar mais disposto a confiar as tarefas mais fatigantes do governo a seus conselheiros, que em sua maioria eram austeros, mas não necessariamente homens justos.
 
''Sadatoki'' era apenas um menino quando se tornou regente (1284), e na década crítica que se seguiu tinha dois conselheiros que estavam empenhados em projetos próprios, ''Yasumori'' o líder do ''Clã Adachi'' e ''Yoritsuna'', um ''Taira'' que ocupava um alto posto administrativo. Estes conselheiros eram rivais mortais, e ambos merecidamente chegaram a um final violento. ''Adachi'', acusado por ''Yoritsuna'' de conspirar para se tornar o ''Shogun'' em razão do parentesco com o líder ''Minamoto'', cometeu ''Sepukku'' com muitos membros de sua família em 1285. E da mesma forma ''Yoritsuna'' que provocou a queda do ''Adachi'', por sua vez morreu com seus principais seguidores em 1293.
99

edições

Menu de navegação