Sistemas de Informação Distribuídos/Computação Ubíqua nos Sistemas de Informação Distribuídos/Computação Ubíqua

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Computação Ubíqua[editar | editar código-fonte]

A Computação Ubíqua promove a idéia de que os computadores estarão em todos os lugares e em todos os momentos auxiliando o ser humano sem que ele tenha consciência disso.

Os computadores serão imperceptíveis, não devido ao seu tamanho, mas devido a sua imperceptível forma de computador.

Essa é a visão mais distribuída que a área de Sistemas de Informação Distribuídos (SID) poderia imaginar. A informação distribuída sem limites físicos nem temporais. A informação disponível imperceptivelmente e até mesmo disponível quando desnecessária no momento, mas participando ativamente de forma construtiva e se auto alimentando para disponibilizar com maior qualidade quando necessária.

Princípios[editar | editar código-fonte]

Pelo menos três princípios são identificados na Computação Ubíqua:

  • Diversidade
  • Descentralização
  • Conectividade

Para esses três princípios nota-se a necessidade de padronização dos dados e protocolos de comunicação para atingir a conectividade e interoperabilidade desejada.

Diversidade[editar | editar código-fonte]

Ao contrário do PC, que é um dispositivo de propósito geral que atende várias necessidades distintas do usuário, os dispositivos ubíquos acenam com uma nova visão da funcionalidade do computador, que é a de propósito específico, que atende necessidades específicas de usuários particulares e de outros dispositivos.

Descentralização[editar | editar código-fonte]

As responsabilidades são distribuídas entre vários dispositivos pequenos e grandes que assumem e executam certas tarefas e funções. Estes dispositivos cooperam entre si para construir a inteligência no ambiente, que é refletida nas aplicações. Para isso uma rede dinâmica de relações é formada caracterizando um sistema distribuído.

Conectividade[editar | editar código-fonte]

Conectividade sem fronteiras. Os dispositivos e as aplicações que executam neles movem-se juntamente com o usuário, de forma transparente, entre diversas redes heterogêneas, tais como as redes sem fio de longa distância e de redes de média e curta distância.

Diversidade[editar | editar código-fonte]

Diversidade dos Dispositivos[editar | editar código-fonte]

Existem diversos tipos de dispositivos que constituem a Computação Ubíqua. Desde sensores até Mainframe.

Cada dispositivo possui um tamanho e capacidade tecnológica específica devido a sua funcionalidade final e vice-versa.

Cada dispositivo possui um meio de comunicação, uma forma de receber, interpretar, armazenar e enviar os dados.

A existência de múltiplos dispositivos constitui-se em um dos desafios da Computação Ubíqua.[1]

No quadro a seguir são exibidos dispositivos de pequeno e médio porte que constituem a Ubicomp. Além deles ainda existem os dispositivos de grande porte, como os PCs e Mainframe.[1]

Controles Inteligentes
Utensílios Inteligentes
Controles de processo de manufatura Quiosques
Controles residendicais Terminais de Ponto de Venda
Termostatos Centrais de telecomunicações
Etiquetas inteligentes Eletrodomésticos da linha branca (geladeiras, máquinas de lavar roupa, etc.)
Controles de bomba de ar e água, gás, etc. Terminais eletrônicos
Cartões inteligentes Máquinas de venda automática
Controles em sistemas automotivos Instrumento de monitoramento médico
Dispositivos de Acesso a Informação
Sistemas de Entretenimento
Telefones Celulares TV
Telefones de Tela Caixas digitais - set-top-boxes
Agentes Pessoais Digitais - PDA Consoles de Jogos
Notebook Câmeras Digitais
Pagers Brinquedos inteligentes
Personal Computers (PCs) Reprodutores de música MP3

Diversidade dos Softwares[editar | editar código-fonte]

As aplicações têm quer ser projetadas de acordo com as limitações de memória, capacidade de processamento e bateria dos dispositivos.

É necessário desenvolver utilizando-se linguagens (normalmente combinadas com APIs nativas) de acordo com o dispositivo destino. Isso resulta em uma grande diversidade nas linguagens, nas plataformas de desenvolvimento e nos softwares resultantes:

  • Java, C e C++ para dispositivos com baixos recursos ou para aplicações que necessitam alto desempenho;
  • Java (J2ME) e C#, VB (.NET Compact Framework), Python para dispositivos com recursos medianos;
  • Java (J2EE) e C#, VB (.NET Framework) para dispositivos sem limitações;

FiguraCamadasJava.jpg

Sistemas Operacionais[editar | editar código-fonte]

Softwares precisam ser desenvolvidos de acordo com o SO destino. Existe uma forte e determinante diferença entre os tipos de SO e entre as versões de mesmo tipo de SO:

  • PalmOS (PDA)
  • Windows CE, Windows Mobile (PDA)
  • Linux (PDA)
  • Symbian EPOC (celulares)
  • Java Card (SmartCards)
  • W/Smart Card (SmartCards)
  • QNX
  • ExWorks
  • Windows 32, 64 bits (PCs e mainframes)
  • Linux 32, 64 bits (PCs e mainframes)
  • etc

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  1. 1,0 1,1 Araujo, Regina Borges. 2003. "Computação Ubíqua, Princípios, Tecnologias e Desafios". "XXI Simpósio Brasileiro de Redes de Computadores".