Marcas nas fotografias de Werner Haberkorn/Vista parcial da Avenida São João. São Paulo-Sp., Acervo do Museu Paulista da USP (cropped)

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
< Marcas nas fotografias de Werner Haberkorn
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Vista parcial da Avenida São João. São Paulo-SP (metadados).

Lista de marcas identificadas[editar | editar código-fonte]

  • CICA
  • Saponáceo Radium

Pesquisa sobre marcas[editar | editar código-fonte]

CICA[editar | editar código-fonte]

Companhia Industrial de Conservas Alimentícias, conhecida como a sigla CICA, pertencente à cidade de Jundiaí-SP. O seu conjunto industrial impulsionou o desenvolvimento da cidade. Foi fundado em 1941, por italianos, cujo propósito era trazer para o Brasil, um alimento com a culinária italiana. o extrato de tomate.

A empresa teve seu desenvolvimento notado, muito por conta de sua localização próxima à rodovia que facilitava o processo de distribuição de produtos. E assim, foi considerado o maior conjunto industrial da América Latina.

Levando em consideração o ano em que foi fundada, nas seguintes décadas, entre 1950 e 1960, houve o ápice das fábricas de conserva, por conta da evolução tecnológica. E a marca CICA é um marco à essa evolução pelo seu moderno parque industrial.

A respeito da arquitetura da fábrica, foi estabelecido um novo arquétipo arquitetônico, sendo a planta mais distribuída além de seguir uma linha mais inovadora, moderna e tecnológica. Sendo exemplo de planta industrial contemporânea.

Referências

PEREIRA, Eduardo Carlos. Novos usos para grandes áreas industriais: patrimônio histórico e contexto contemporâneo. In: Seminário Ibero-americano, 4., 2015, Belo Horizonte. Patrimônio... Jundiaí: [s.n.], 2015. p. 1-27. Disponível em: <http://www.forumpatrimonio.com.br/arqdoc2015/artigos/pdf/89.pdf>. Acesso em: 21 set. 2018.

BACH, A. N. Patrimônio Agroindustrial: Inventário das fábricas de compotas de pêssego na área urbana de Pelotas (1950-1990). Journal of Personality and Social Psychology, v. 1, n. 1, p. 1188–1197, 2017.

PEREIRA, E. C. Novos usos para grandes áreas industriais: patrimônio histórico e contexto contemporâneo. 2015.

Saponáceo Radium[editar | editar código-fonte]

Marca de saponáceos em pedra dos anos 60, foi renomeado na década seguinte e passou a ser chamado Sapólio Radium, além de ganhar uma nova embalagem também.

Anúncio na revista medicina em 28 de fevereiro 1941: “O único indicado para a limpeza de louças, talheres, espelhos, cristais, banheiros,  mármores, azulejos, pneus faixa branca, etc”.

Em seu anúncio, seu slogan consiste em ser o melhor e mais econômico.

Referências

PETERMANN, J. A Publicidade Bom Bril : O Segredo do Sucesso. p. 1–131, 2006.

Comentários sobre a fotografia[editar | editar código-fonte]

Obra cujo autor demonstra a cultura metropolitana, através do trabalho com paisagens urbanas e com o olhar direcionado para os pontos da cidade de maior carga simbólica, garantindo o sucesso de vendas.

Werner Haberkorn levou em consideração a região central de São Paulo, a partir de intervenções feitas por Prestes Maia, prefeito na época, sendo elas: a expansão da malha viária, racionalização da administração com a melhoria da arrecadação tributária. Assim, houve uma modernização urbanística.

O que se pode verificar na fotografia é dada verticalização que transformou São Paulo, pelo crescimento da construção de edifícios, que demonstram os novos modos de viver e morar apontados pela fotografia. Edifícios comerciais, residenciais ou mistos representam os novos padrões de moradia. Assim, as ruas foram tomadas por enormes prédios, sendo estrelas da produção fotográfica urbana desse período.

Werner Haberkorn se utilizou de elementos do mobiliário urbano para ênfase de verticalidade, contraste de luz que evidencia os edifícios, recorte fotográfico de edifícios no formato vertical.

Levando em consideração o livro "Como Pensam as Imagens" de Etienne Samain, pode-se observar nas fotografias de Haberkorn a evolução da cultura metropolitana na região central da cidade de São Paulo, isso demonstra que o conjunto de todas as imagens formam um sistema no qual há um significado para tais fotografias, que estimulam a refletir a importância delas em nossas vidas.

Apesar de serem imagens que de primeira instância são esclarecedoras, trazem por trás uma grande reflexão. Isso por conta dos pensamentos que a imagem nos traz, por serem, por natureza, poços de de memórias e focos de emoções, sensações. As imagens enquanto cartão postal demonstram a intenção de Werner Haberkorn por querer retratar essa nova cidade, cujo comércio é ativo, com o sucesso de vendas e grande modernização urbanística e também a grande movimentação de veículos evidenciada na foto que se destaca principalmente pela maneira em que a foto foi enquadrada.