Literatura anglo-saxã/Capitulo II

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
< Literatura anglo-saxã
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa



Poesia Inglesa antiga[editar | editar código-fonte]

Na antiga Inglaterra anglo-saxã , a poesia era largamente usada para charadas e para a contagem de histórias , na maioria das vezes carecia de rimas, e possuíam uma métrica comum e um estilo comum , a aliteração , aonde um verso era dividido em duas partes que eram ligadas por um fonema igual no inicio de duas ou mais palavras do verso. Na Inglaterra anglo-saxã as atuais regras e métricas não eram seguidas a risca, muitas vezes outras métricas eram usadas na poesia Germânica (ver Snorri Sturlusson) que podem ser consideradas assimétricas e sem beleza para os padrões atuais , mas isso acontece pois os padrões de poesia dos antigos anglo-saxões eram diferentes dos nosso padrões modernos.

Grandes exemplos da poesia anglo-saxã são Beowulf e várias obras do volume de Exeter como Deor e Widsith , sem contar nos doze encantamentos em Inglês antigo , e o poema rúnico anglo-saxão que descrevia cada runa do Fuþorc em versos usando inúmeras figuras de linguagem (Kennings) que serão citados a seguir :

Kennings[editar | editar código-fonte]

Estas eram as figuras de linguagem anglo-saxãs , usadas também na literatura Islandesa , eram modos de se referir a um homem , um animal ou um objeto usando linguagem figurativa , muitas vezes charadas complexas , mas as vezes eram simples questões de entendimento básico , como por exemplo o mar é chamado de "o caminho da baleia" no poema Beowulf.

Estes Kennings podem ter sido comuns entre vários povos Germânicos para se referir a coisas especificas sem usar seu nome próprio: Mas porque usar Kennings em uma poesia? Bem , é importante lembrar que estas linguagens figurativas podem ser até consideradas anti-poéticas nos dias modernos, pois seria difícil construir rimas com elas , mas para a aliteração as vezes uma palavra de certo Kenning poderia aliterar com outra, fazendo a ligação entre as duas partes do verso. Um fator essencial para a poesia anglo-saxã. Por isso a linguagem figurativa era precisa e também era comum dentro do estilo anglo-saxão de poesia , que se focava unicamente na aliteração e raramente continha rimas e outros elementos comuns da poesia atual , como uniformidade entre versos.

Lista de Kennings conhecidos[editar | editar código-fonte]

Aqui vai uma pequena lista de Kennings usados na literatura anglo-saxã: 1"Luz de batalha" se referindo a espada 2"Caminho da baleia" se referindo ao mar 3"Suor de batalha" se referindo ao sangue 4"Mulher da casa" se refere a esposa 5"Matador de Bældæg" se refere ao visco