Iniciação à Pesquisa Científica em Saúde /REPOSITÓRIO DE EXERCÍCIOS RESOLVIDOS/ Exercício 43: Saúde materno-infantil III

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Questão 43 - Saúde materno-infantil III[editar | editar código-fonte]

Um estudo observacional descritivo foi realizado em uma maternidade de referência com o objetivo de avaliar os indicadores de qualidade da assistência materno-infantil. Para isto, uma amostra aleatória foi extraída a partir de uma base de dados clínicos que registra sistematicamente os dados sobre o parto, no momento da alta hospitalar.

Bebe.jpg

Utilize a Base de Dados: BD_PARTOS.sav e o software estatístico SPSS existente nos laboratórios de informática da UFMG, ou outro de livre acesso que você quiser (EPI-INFO).

Questões da pesquisa:

a) Existe associação entre Risco gestacional X Tipo de parto? (variável ALTO_RISCO e variável TIPO_PARTO)

b) Existe associação entre Via de parto e Infecção puerperal? (variável TIPO_PARTO e variável INFECCAOHOSP)

Formule hipóteses nula para a população de mulheres gestantes e recém-nascidos, cuja probabilidade podemos inferir a partir desta amostra. Escolha um teste estatístico e execute-o, interpretando as saída. Para responder as questões da pesquisa, coloque as saídas computacionais, justificando suas respostas.

Sugestão de apoio:

Dicas SPSS.com

Manual SPSS 20 em portugues

Resposta da questão:[editar | editar código-fonte]

a) As variáveis do exercício são: Risco Gestacional e Tipo de Parto, ambas são CATEGÓRICAS. Assim, utilizando uma tabela 2x2, pode-se representar a associação entre preditor e desfecho. O exame minucioso da tabela leva à questão inevitável se existe ou não evidência de uma associação entre eles, ou seja, leva a um teste de hipótese, no qual o preditor é o Risco Gestacional e o desfecho é o Tipo de Parto

Como se trata de duas variáveis categóricas, utiliza-se o teste qui-quadrado, com nível de significância de 5%. 

A Hipótese nula (H0) e a Hipótese alternativa (H1) são:  

H0: Não existe associação entre risco gestacional e tipo de parto. 

H1: Existe associação entre risco gestacional e tipo de parto.  

Os dados observacionais são: 

Dados observados Tipo de Parto Total
Vaginal Cesariana
RG Sim 166 172 338
RG Não 296 118 414
Total 462 290 752

RG= Risco Gestacional 

Contudo, para que a Hipótese nula seja verdadeira, os dados esperados deveriam ser: 

Cálculo do esperado: Total Linha x Total Coluna / Total geral 

Dados esperados Tipo de Parto
Vaginal Cesariana
RG Sim 207,6543 130,3457
RG Não 254,3457 159,6543

RG= Risco Gestacional 

Assim, diante dos dados esperados e dos dados observados, calcula-se o qui-quadrado

  • Para cada dado faz-se: (Valores esperados – Valores observados)2 / Valores esperados 
  • Soma-se os quatro valores. 

O resultado é 39,35639007.  

Para a hipótese nula ser rejeitada o valor deve ser maior ou igual a 3,841 (valor tabelado), ou seja, a hipótese nula pode ser rejeitada com um nível de segurança muito grande. 

Assim, pode-se afirmar com 95% de confiança que existe relação entre risco gestacional e tipo de parto.   

b) As variáveis do exercício são: Tipo de Parto e Infecção Puerperal, ambas são CATEGÓRICAS. Assim, utilizando uma tabela de contingência 2x2, pode-se representar a associação entre preditor e desfecho. O exame minucioso da tabela leva à questão inevitável se existe ou não evidência de uma associação entre eles, ou seja, leva a um teste de hipótese, no qual o preditor é o Tipo de Parto e o desfecho é o Infecção Puerperal

Como se trata de duas variáveis categóricas, utiliza-se o teste qui-quadrado, com nível de significância de 5%. 

A Hipótese nula (H0) e a Hipótese alternativa (H1) são:  

H0: Não existe associação entre tipo de parto e infecção puerperal. 

H1: Existe associação entre tipo de parto e infecção puerperal.  

Os dados observacionais são: 

Dados observados Infecção Puerperal Total
Sim Não
Tipo de parto Vaginal 6 456 462
Cesariana 21 269 290
Total 27 725 752

Contudo, para que a Hipótese nula seja verdadeira, os dados esperados deveriam ser: 

Cálculo do esperado: Total Linha x Total Coluna / Total geral 

Dados esperados Infecção Puerperal
Sim Não
Vaginal 16,58777 445,4122
Cesariana 10,41223 279,5878

Assim, diante dos dados esperados e dos dados observados, calcula-se o qui-quadrado

  • Para cada dado faz-se: (Valores esperados – Valores observados)2 / Valores esperados 
  • Soma-se os quatro valores. 

O resultado é 18,17692616

Para a hipótese nula ser rejeitada o valor deve ser maior ou igual a 3,841 (valor tabelado), ou seja, a hipótese nula pode ser rejeitada com 95% de confiança

Assim, pode-se afirmar com 95% de confiança que existe associação entre tipo de parto e infecção puerperal.

Indexadores do tema deste exercício[editar | editar código-fonte]

Comparação entre grupos amostrais em saúde

Testes Qui-quadrado

Introdução à informática médica

Bioestatística computacional

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Epidemiologia Básica – 2ª Edição - R. Bonita R. Beaglehole T. Kjellström

VOLTAR À PAGINA PRINCIPAL[editar | editar código-fonte]