História e epistemologia da Física/Eletromagnetismo: diferenças entre revisões

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
[edição não verificada][edição não verificada]
== ‘Bateria’ de Bagdá ==
 
Quando em 1936, escavavam as ruínas de uma vila, Khujut Rabu, de mais de 2000 anos de antigüidade, perto de Bagdad, no Iraque, os trabalhadores descobriram um objeto desconcertante.
encontrada no Iraque em 1938 na vila de Khujut Rabu próxima a Bagdá, Iraque
 
Tratava-se de um pequeno vaso de argila dentro do qual havia um tubo feito de chapa de cobre, com um diâmetro de aproximadamente 2,5 cm. por uns 10 cm. de comprido. A base do tubo estava selada por um disco, também de cobre. Uma barra de ferro, aparentemente corroída por ácido, se projetava através de uma tampa de asfalto na parte superior.
 
A princípio foi catalogado como objeto de culto e colocado na seção de arqueologia religiosa do Museu de Bagdad.
 
Até que o arqueólogo alemão, Wilhelm Konig, que na ocasião vivia no Iraque, examinou o objeto e chegou a uma conclusão surpreendente: se o tubo havia sido preenchido com uma solução ácida, havia funcionado como uma batería elétrica rudimentar.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Os espartanos e mesopotâniocs obtiveram algum conhecimento sobre eletricidade, baseados na descoberta da bateria de Bagdá, que é um precursor da célula galvânica.
73

edições

Menu de navegação