Diferenças entre edições de "Civilização Egípcia/Período dinástico antigo"

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
m
sem resumo de edição
m
m
====Cânone Real de Turim====
Também conhecida como ''Lista Real de Turim'', é um papiro único, escrito em hierático, que hoje está no Museu de Turim na Itália.<br>
Este papiro está fragmentado em, mais ou menos, cento e sessenta pequenos pedaços e muitos deles se perderam. Ele foi descoberto na necrópole de Tebas pelo viajante italiano Bernardino Drovetti em 1822 e quem primeiro percebeu sua importância foi o egiptólogo francês ''Jean François Champollion.'' <br>
Presume-se que esteo papiro tenha sido escrito no reinado do faraó Ramsés II e não se sabe quantas páginas tinha, com uma lista de pessoas e instituições, tendo ao lado uma estimativa de impostos. <br>
Este papiro foi descoberto na necrópole de Tebas pelo viajante italiano Bernardino Drovetti em 1822 e quem primeiro descobriu sua importância foi o egiptólogo francês Jean François Champollion. <br>
Presume-se que este papiro tenha sido escrito no reinado do faraó Ramsés II e não se sabe quantas páginas tinha, com uma lista de pessoas e instituições, tendo ao lado uma estimativa de impostos. <br>
Mas, o que ele tem de realmente valioso é o verso, que na época não deve ter sido lá de grande importância para o escriba. Talvez tenha sido apenas um exercício para quem o escreveu, talvez fosse um estudante.<br>
Acontece que, nos legou uma lista de deuses, semi-deuses, espíritos, reis míticos e humanos, que reinaram no Egito desde o início dos tempos até quando ele escreveu a lista.<br>
====Lista de Mâneton====
Não se sabe muita coisa a respeito de Mâneton, apenas que ele foi um sacerdote egípcio ou greco-egípcio, nascido em Sebennitos no delta do Nilo, e que viveu no Egito durante a trigésima dinastia (reinados de Ptolomeu I e II).<br>
A importância de Mâneton vem do fato de ter escrito '''Aegyptiaca''', uma coleção de três livros sobre a história do Egito antigo, patrocinada por Ptolomeu II que queria unir as culturas egípcia e grega.<br>
Mâneton, sendo sacerdote, com certeza teve acesso aos arquivos do templo onde servia. É possível que nesses arquivos tenha encontrado desde tratados científicos até histórias mitológicas e assim muitas vezes temos uma grande mistura. <br>
Contudo, seu trabalho deve ser considerado muito importante para o estudo da história do antigo Egito. Difícil é descobrir algo do trabalho original de Mâneton, porque este foi copiado e falsificado com intenções políticas e ou religiosas. <br>
Na listagem de faraós que vamos usar aqui, Narmer, o unificador do Egito, surge como o primeiro rei do período pré-dinástico ou dinastia 0 ou dinastia de Naqada. Mas, ele também pode ser o primeiro rei da primeira dinastia. Vamos colocá-lo então na primeira dinastia, uma vez que, do período pré-dinástico não temos uma lista de reis confiável.<br>
 
*'''Narmer'''<br>
*Aha<br>
*Hórus Djer<br>
2 908

edições

Menu de navegação