JavaFx: diferenças entre revisões

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
204 bytes adicionados ,  19 de julho de 2013
[edição não verificada][edição não verificada]
Em setembro de 2005 a empresa '''SeeBeyond Technology Corporation''' desenvolveu um projeto chamado '''F3 (Form Follows Function)''' que era baseado em uma linguagem interpretada e tinha como seu responsável criador '''Chris Oliver'''. A Sun comprou a empresa e Chris Oliver tornou-se funcionário. F3 foi alterado para o nome atual e se tornou open source no JavaOne 2007.
 
Em um curto espaço de tempo ''JavaFX'' evoluiu e adaptou-se a ponto de não podermos utilizartornar comandos e técnicas de produção das antigas versões anterioresincompatível pore seimprodutiva tornar(diferenças incompatívelentre as versões 1.0 e improdutiva2.0), onde mesmo aosos desenvolvedores habituado com produção direta emcom javaJava tiveramutilizando queatualmente adaptar''JavaFX'', seus precisaram reorganizar conceitos e técnicas produtiva para acompanhar asa novas realidadesrealidade tecnológicastecnológica (conceito abordado a respeito do profissional e da linguagem adaptar-se a realidade). Não é correto afirmar que ''JavaFX'', devido ao seu grau de evolução seja superior ao ''Java'' mas concordamos que é o resultado de um processo evolutivo. A linguagem incorporou o '''CSS, HTML, JavaScript e XML''' diretamente em sua produção adaptando algumas delas para seu ambiente, como é o caso do XML que foi criado um "dialeto" com o nome '''FXML''' que serviu para um ambiente voltado para criação de layout.
 
A Oracle criou um método de trabalho que revolucionou as regras para criação de telas utilizando a linguagem FXML. Uma [http://pt.wikipedia.org/wiki/API API] ('''Scene Builder''') cria o layout e grava em arquivos interpretados pelo ''JavaFX''. Uma técnica simples, rápida e elegante para desenvolver aplicativos sem carregar o código principal da aplicação.

Menu de navegação