História do direito/Idade antiga: diferenças entre revisões

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Continuei a escrever a página.
[edição não verificada][edição não verificada]
(Me adequei ao manual de estilo.)
(Continuei a escrever a página.)
Desde o seu surgimento como espécie, o homem sempre teve normas que limitavam sua liberdade individual em nome da preservação e do bem-estar do grupo no qual se achava inserido<ref>http://www.webartigos.com/articles/28704/1/DIREITO-E-JUSTICA-DA-PRE-HISTORIA-A-CONTEMPORANEIDADE/pagina1.html</ref>. Porém tais normas só passariam a ser registradas de modo duradouro e fiel a partir da invenção da escrita por volta de 4000 a.C. pelos sumérios da antiga Mesopotâmia<ref>http://www.suapesquisa.com/artesliteratura/historiadaescrita.htm</ref>.
[[File:Brazil 16thc tupinamba.gif|center|400px|thumb|As sociedade ágrafas (sem escrita) costumam manter normas coletivas preservadas por via oral. A gravura representa uma cerimônia dos índios tupinambás brasileiros, que não conheciam a escrita.]]
O mais antigo registro legal conhecido é o código de Ur-Nammu, um monarca sumério que viveu por volta de 2100 a.C. Era um documento que se baseava na reparação econômica dos danos sofridos e que tinha por objetivo inibir os conflitos dentro do império de Ur-Nammu, estimulando desta forma o desenvolvimento econômico dentro do império. Maior fama, porém, alcançou o código de Hamurabi, monarca babilônico que viveu por volta de 1700 a.C. O código, gravado em rocha e contendo 282 artigos, prevê penas para delitos como: ajuda a fuga de escravo, imperícia na construção de casa, roubo, incesto, difamação etc. Através da imputação de penas violentas, tais como a pena de morte, procurava-se desestimular a prática de atos considerados daninhos à sociedade. No código, Hamurabi se retratou recebendo das mãos de Shamash, o deus babilônico do sol e da justiça, a autoridade para legislar<ref>http://histatual.blogspot.com/2010/05/codigo-de-hammurabi.html</ref>. Ou seja, procurou o apoio da religião para convencer a população a obedecer as regras do código. Hamurabi espalhou vários exemplares do código pelo seu império, que abrangia a maior parte da Mesopotâmia.
[[File:Hammurabi code.jpg|center|300px|thumb|Código de Hamurabi em exposição no museu do Louvre, em Paris, na França]]
Dentro do mundo antigo, outro grande momento na história jurídica ocorreu com a ascenção da república romana no século VI a.C. Roma notabilizou-se pela elevada cultura jurídica que conseguiu desenvolver, seja durante seu período republicano (509 a.C. a 27 a.C.), seja durante seu período imperial (27 a.C. a 476). Com a expansão dos seus domínios, Roma difundiu as suas leis pela Europa, África e Ásia. Mesmo com o fim do império (a sua porção ocidental, em 476 e a sua porção oriental, em 1453), as leis romanas continuaram a servir de principal referência na formulação das normas jurídicas de muitos países até hoje.
[[File:Leipzig Reichsgericht außen Detail 004.jpg|center|400px|thumb|Relevo na suprema corte alemã em Leipzig que faz referência à lei das Doze Tábuas, que foi uma das primeiras leis romanas conhecidas. Antes de redação da lei das Doze Tábuas, no século V a.C., as leis eram secretas e somente eram conhecidas por pessoas selecionadas da elite.]]
{{ref-section}}
{{AutoCat}}
2 144

edições

Menu de navegação