A Cidade do Rio de Janeiro no Século XVII/A Cidade Desce o Morro: diferenças entre revisões

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Corrigi erros.
[edição não verificada][edição não verificada]
Sem resumo de edição
(Corrigi erros.)
[[File:Purgar.jpg|center|350px|thumb|Formas de pão de açúcar utilizadas no processo de fabricação de açúcar]]
[[File:Flamengo beach rio de janeiro.jpg|center|500px|thumb|À esquerda, o morro do Pão de Açúcar e, à direita, o morro da Urca]]
Como consequência da Revoltarevolta da Cachaçacachaça, a produção de cachaça foi finalmente liberada, resultando em desenvolvimento econômico da região e aumento do comércio com Angola, onde a cachaça era trocada por escravos.
[[File:NavioNegreiro.gif|center|400px|thumb|Interior de navio negreiro]]
Em 1671, o português Antônio Caminha esculpiu uma imagem de Nossa Senhora da Glória e a colocou numa ermida de taipa no alto de um morro no começo da praia de Uruçumirim (atual praia do Flamengo). Tal ermida daria origem, no século seguinte, à igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro<ref>http://www.jblog.com.br/rioantigo.php</ref>. No mesmo ano, terminaram as obras da igreja de Nossa Senhora de Montserrat, no morro de São Bento. Ligando os morros do Castelo e de São Bento, formou-se a rua Direita, que é a atual rua Primeiro de Março<ref>http://www.marcillio.com/rio/enceprma.html</ref>.
Uma interessante rua da cidade nessa época era a rua dos Ourives, que concentrava grande quantidade desses profissionais que trabalhavam a prata trazida legal ou ilegalmente do Peru (durante grande parte do século, Portugal esteve unido à Espanha através da união ibérica. Isso favoreceu os intercâmbios comerciais através do continente, pois diminuiram os controles fronteiriços entre a América portuguesa e a espanhola<ref>http://educaterra.terra.com.br/voltaire/500br/uniao_iberica.htm</ref>). Hoje, a rua tem o nome de Miguel Couto<ref>http://www.google.com.br/imgres?imgurl=http://www.marcillio.com/rio/centro/arb/cerbeouv.jpg&imgrefurl=http://www.marcillio.com/rio/encerbes.html&usg=__ZdkcN8tnwphKwi9EEG731gCrub8=&h=315&w=216&sz=34&hl=pt-BR&start=5&zoom=1&um=1&itbs=1&tbnid=DtxnRjB4XMgEKM:&tbnh=117&tbnw=80&prev=/images%3Fq%3Drua%2Bdo%2Bouvidor%26um%3D1%26hl%3Dpt-BR%26sa%3DX%26tbs%3Disch:1</ref>.
 
Em 1696, foi inaguradainaugurada a igreja de São Francisco da Prainha, no morro da Conceição. Como o nome diz, na época, a igreja se localizava à beira-mar. Atualmente, com os sucessivos aterros, a igreja se localiza bem distante do mar<ref>http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=996117</ref>.
 
Em 1699, atendendo à necessidade de moeda na cidade, a casa da moeda que havia em Salvador foi transferida temporariamente para o Rio de Janeiro, passando a funcionar no prédio da junta do comércio, na rua Direita, nas proximidades da ladeira de São Bento, no terreno atualmente ocupado pelo arsenal da marinha. A casa da moeda produziu moedas de ouro e prata até o ano seguinte, quando foi transferida para a capitania de Pernambuco<ref>http://www.angelinicoins.com/Hist/Brasil/CMrj.html</ref>.
2 529

edições

Menu de navegação