Santos católicos/Biografias: diferenças entre revisões

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Retirei texto repetido.
[edição não verificada][edição não verificada]
(Acrescentei informação.)
(Retirei texto repetido.)
{{navegação|[[Santos católicos|Índice]]|[[Santos católicos/Introdução|Introdução]]|[[Santos católicos/Biografias (2ª parte)|Biografias (2ª parte)]]}}
FREI GALVÃO: oficialmente é conhecido como Santo Antônio de Sant'Ana Galvão. Nasceu em Guaratinguetá, São Paulo, Brasil, em 1739. Pertencia a uma família rica e era parente do célebre bandeirante paulista Fernão Dias Paes, o ''Caçador de Esmeraldas''. Para se aperfeiçoar nos estudos, foi mandado por seu pai para o colégio jesuíta em Cachoeira, na Capitania da Bahia, chamado Colégio de Belém. Seu desejo era tornar-se padre jesuíta, mas, com a expulsão dos jesuítas efetuada pelo Marquês de Pombal, Frei Galvão acabou por abandonar o Colégio de Belém e transferir-se para o Convento Franciscano de São Boaventura de Macacu, em Itaboraí, Capitania do Rio de Janeiro. Foi aí que ele trocou o nome natal Antônio Galvão de França pelo de Antônio de Sant'Ana Galvão, para homenagear a santa de devoção da família. Em 1761, ingressou na Ordem Franciscana, e, no ano seguinte, ordenou-se sacerdote na Igreja de Santo Antônio do Largo da Carioca, na cidade do Rio de Janeiro. Finalizou os estudos no Convento de São Francisco, na cidade de São Paulo. Lá, travou contato com Irmã Helena Maria do Espírito Santo, que pertencia ao Recolhimento de Santa Teresa. Ela contou-lhe ter tido visões em que Jesus ordenava a construção de um novo recolhimento. Acreditando na veracidade das visões, Frei Galvão tomou a iniciativa da construção do recolhimento, do qual foi arquiteto, mestre de obras e pedreiro. O recolhimento foi inaugurado em 1774, com o nome de Recolhimento da Luz.
 
Em sua vida, foram relatados muitos fenômenos místicos, como êxtases, levitação e bilocação (estar em mais de um lugar ao mesmo tempo). Para curar algumas pessoas doentes, Frei Galvão escrevia num papel a frase em latim ''Post partum Virgo Inviolata permansisti: Dei Genitrix intercede pro nobis'' (que em português significa ''Após o parto, permaneceste Virgem Inviolável: intercedei por nós, Mãe de Deus''), enrolava o papel no formato de uma pílula e pedia para a pessoa engoli-lo. Ensinou as irmãs do Recolhimento da Luz a confeccionar esta pílula, e estas a seguem fazendo até hoje. Faleceu em 1822 e foi sepultado no Recolhimento da Luz. Seu túmulo desde então é ponto de peregrinação.
 
Após sua canonização em 2007, tornou-se o primeiro santo católico nascido no Brasil. É venerado no dia 25 de outubro.
<ref>http://www.casadefreigalvao.com.br/08/</ref>
[[File:Freigalvao.jpg|center|200px|thumb|Frei Galvão]]
SANTA TERESINHA DO MENINO JESUS: Marie-Françoise-Thérèse Martin nasceu em Alençon, na França, em 2 de janeiro de 1873. Aos quinze anos, entrou para a Ordem das Carmelitas Descalças. Morreu em 30 de setembro de 1897. Foi canonizada em 1925. Também é conhecida como Thérèse de Lisieux<ref>http://www.cancaonova.com/portal/canais/especial/santa_teresinha/02.php</ref>.
[[File:Teresadarco.jpg|center|300px|thumb|Foto de Thérèse de Lisieux em 1895]]
NOSSA SENHORA DO BRASIL: uma imagem de Nossa Senhora com o Menino Jesus ao colo, ambos com feições indígenas e com um coração desenhado no peito, segundo a lenda, teria sido confeccionada na Capitania de Pernambuco, no Brasil, no século XVI, sob a inspiração do padre jesuíta José de Anchieta, que visitava a capitania na ocasião. Tal imagem teria sido conservada em uma aldeia indígena até a invasão holandesa no século XVII, quando teria sido perdida. A imagem teria sido redescoberta em 1710 por frades capuchinhos. Em 1828, a imagem teria sido levada para Nápoles, na Itália, onde passou a ser adorada como Nossa Senhora do Brasil ou Nossa Senhora dos Sagrados Corações.
[[File:NossaSenhoradoBrasil1.jpg|center|300px|thumb|Imagem de Nossa Senhora do Brasil]]
SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA: nasceu em Lisboa, Portugal, em 1195. Segundo a tradição, foi coroinha na Sé de Lisboa, quando criança. Tornou-se monge franciscano, tendo sido contemporâneo de São Francisco de Assis. Morreu em Pádua, na Itália, em 1231. É considerado o santo padroeiro de Portugal e dos militares. Seu dia é o 13 de junho. É também considerado um santo casamenteiro, por ter promovido a conciliação entre cônjuges quando vivo. Por esta razão, o dia anterior ao dia de Santo Antônio é tido no Brasil como o Dia dos Namorados.
[[File:Maisiagala COA.gif|center|200px|thumb|Santo Antônio segurando o Menino Jesus, no brasão da cidade lituana de Maisiagala]]
2 529

edições

Menu de navegação