Diferenças entre edições de "Civilização Egípcia/Período dinástico antigo"

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
→‎Faraós da primeira dinastia: Refazendo falta acabar...
m
(→‎Faraós da primeira dinastia: Refazendo falta acabar...)
==Faraós da primeira dinastia==
A lista abaixo certamente não está completa, nem da primeira nem das outras dinastias, longe disso, porque há muitas controvérsias a respeito.<br>
Na listagem de faraós que vamos usar aqui, Narmer, chamado o unificador do Egito, surge como rei do período pré-dinástico ou dinastia 0 ou dinastia de Naqada. Mas, ele também pode ser o primeiro rei da primeira dinastia. Vamos colocá-lo então na primeira dinastia, uma vez que, do período pré-dinástico não temos uma lista de reis confiável.<br>
Muitas vezes a grafia dos nomes dos faraós é diferente, depende da fonte até mesmo pelo desconhecimento da pronúncia, alguns estudiosos usam os nomes gregos retirados da lista de Mâneton.
[[File:Seated figure of a baboon with the cartouche of king Narmer.jpg |thumb |right |100px |estátua de babuíno com o nome Narmer]]
 
*'''Narmer''' ou Menés, Meni ou Aha<br>
 
*'''Narmer''' ou Menés, Meni ou Aha<br>
*Aha<br>
*Hórus Djer<br>
*Hórus Qaa<br>
 
'''Narmer''' - alguns estudiosos acreditam que Narmer e Menes foram a mesma pessoa. Menes seria o nome grego para Narmer e quem teria dado este nome seria Mâneton (que escreveu em grego uma história sobre a civilização egípcia e fez uma cronologia dos faraós).<br>
Pode ser que o nome '''Men''', que significa ''estabelecido'', seja a origem de Menes, porque o primeiro rei da Primeira Dinastia, Aha, deve ter sido filho de Menes com a rainha Nithotep e há um selo de marfim na tumba da rainha Nithotep, em Naqada, que mostra o nome Aha com o nome Men na frente dele.
 
'''*Narmer (Narmeru, Merunar, Meni)'''
'''Aha''' - talvez o filho de Narmer e da rainha Nithotep. É provável que seu túmulo esteja em Abydos.
 
Esse rei é tido como o unificador do Egito, se tornando o verdadeiro faraó. Também é possível que Narmer tenha começado a unificação e Menés (?) a tenha terminado. Para confundir mais um pouco, alguns estudiosos acreditam que o rei Escorpião pode ter sido Narmer, mas não há nenhuma evidência ou prova para essa teoria. <br>
A teoria mais comum é de que Narmer na verdade, seria Hor-Aha, embora a lista de antigos reis encontrada nas tumbas dos faraós Den e Qa´a, da primeira dinastia registre Narmer como fundador da dinastia e registre também Hor-Aha. Menes não é mencionado em nenhuma lista. <br>
Acredita-se que ele casou com uma princesa do Baixo Egito chamada Neithotep, cujo nome aparece em inscrições nas tumbas que se presume sejam de Hor-Aha e de Djer. De onde se deduz que ela poderia ser a mãe ou mesmo a esposa de Hor-Aha, nada está definido, até pela antiguidade e dificuldade de pesquisa. <br>
Alguns objetos de seu reinado já foram encontrados, como fragmentos de cerâmica e selos na tumba de Den em Abidos. O nome de Narmer e do seu possível antecessor, Escorpião, foram encontrados em cerâmicas descobertas em Minshat Abu Omar ao leste do Delta. Também foi recuperada uma estátua de um babuíno com o nome nome de Narmer, a cabeça de maça e a paleta. <br>
São atribuídas a esse faraó, as tumbas B17 e B18 (são ligadas entre si) em Umm El-Qa´ab, Abidos. <br>
Heródoto o nomeia Min, mas isso é passível de dúvida. <br>
 
 
Antes de falar sobre o faraó Aha vamos fazer um comentário sobre Menes: <br>
Menes pode ter sido o próprio Narmer ou seu successor. Talvez filho da rainha Neithotep, que tomou como segundo nome real Men, que significa ''estabelecido'', o que deu origem ao nome Menes. O fato é que existe um selo de marfim vindo da tumba da rainha Neithotep em Naqada, que mostra o nome Hor-Aha com o nome Men na frente.
Afinal é impossível ter certeza porque se está discutindo o nome de um homem que viveu por volta de 5 000 anos atrás. É preciso ter em mente que a maior parte da história que sabemos a respeito de Menes foi escrita mais de 250 anos depois de sua morte. <br>
Pode ser que novas descobertas nos permitam saber mais, porém é praticamente impossível acreditar que um dia, vamos descobrir quem foi, de fato, Menes. <br>
 
[[File:GlazedFiaenceVesselFragmentNameOfAha-BritishMuseum-August21-08.jpg|thumb |left |150px |fragmento de vasilha de faiança com o nome Aha]]
'''*Hor-Aha (o falcão lutador)'''
 
Pode ter sido o filho de Narmer e sua rainha Neithotep. Na tumba da rainha, ele está representado, num fragmento de marfim, fazendo a cerimonia de união do Alto e Baixo Egito. <br>
Tomou o nome de trono de Men (estabelecido) e fragmentos encontrados em tumbas de reis do período, se referem a rebeldes na Núbia e campanhas militares fora do Egito. <br>
É possível que tenha erigido o Templo da deusa Neith (parte do nome de Neithotep sua provável mãe) em Sais. Também pode ter sido ele quem fundou Mênfis (''Men Nefer'' que significa ''estabelecida e bela''). <br>
Lendas contam que ele morreu atacado por um hipopótamo. Foram encontradas tumbas para o rei Hor-Aha tanto em Saqara quanto em Abidos e, embora não fossem decoradas e tivessem sido saqueadas e destruídas pelos ladrões e pelos escavadores (não havia ainda nada que lembrasse a arqueologia de hoje), alguns selos e fragmentos foram recuperados. <br>
Acredita-se hoje que Hor-Aha foi sepultado em Abidos, que é considerado o local real. Numa pequena tumba próxima foram encontrados selos onde estava escrito ''Berner-ib'' (querida) que talvez fosse referência a sua rainha e que também aparecem na tumba da rainha Neithotep. <br>
Alguns estudiosos sugerem que Neithotep poderia ter sido sua esposa, e que eles casaram para cimentar a aliança entre o Alto e Baixo Egito. Certamente Hor-Aha veio do Alto Egito e Neithotep veio do Baixo Egito, mas não há provas de seu relacionamento familiar. De qualquer maneira o filho desse faraó, seu sucessor, Djer, era filho de uma outra esposa secundária. <br>
'''Nomes:''' <br>
*Mâneton o chama Menes o primeiro rei ou Athothis, na lista dele o segundo rei.
*Heródoto o chama Min (há dúvidas)
*Listas de reis – Men, Meni, Teti, Ity
 
'''*Djer (Hórus que socorre)'''
 
Era, provavelmente, o rei que Mâneton chama de Athothis e descreve como sendo um grande estudioso, porque escreveu textos de anatomia que ainda eram usados na época do domínio grego. <br>
Fragmentos de selos em marfim vindos de Abidos relatam viagens a Sais e Buto, no Delta. <br>
Presume-se que sua tumba seja a de número 0 em Abidos, que é uma das maiores e mais complexas da 1ª dinastia. No inicio do século XX, ''Flinders Petrie'' descobriu tumbas das primeiras dinastias e, na tumba de Djer foi encontrado um braço de mulher cortado e envolvido com panos de linho, decerto abandonado por um ladrão. Dentre as bandagens havia quatro pulseiras de ouro, ametista e turquesa, um magnífico trabalho de ourivesaria que deveriam pertencer a uma rainha ou princesa. <br>
O faraó Djer também construiu duas mastabas em Saqara e um templo para a deusa Neith em Sais. <br>
Inscrições em Wadi Halfa registram uma campanha military na Núbia e talvez ele tenha feito também campanhas na Libia e no Sinai. Talvez tenha feito até mais, militarmente pois um dos anos de seu reinado foi chamado de ''O Ano da Destruição da Terra de Setjet'' (Siria-Palestina). Essa atividade militar torna Djer, o primeiro faraó a registrar campanhas militares fora das fronteiras egípcias. <br>
Poderoso e inteligente, Djer, infelizmente está ligado a sacrifícios humanos. Um selo de madeira encontrado em Saqara traz seu nome, junto de uma cerimônia que parece estar ligada a sacrifícios humanos e sua tumba em Abidos está rodeada de sepultamentos de trezentos serviçais que foram enterrados ao mesmo tempo que o faraó. <br>
Não se pode afirmar mas também não há outras explicações para o fato. <br>
'''Nomes:'''
*Mâneton o chama de Athothis (embora alguns digam que ele era Kentekenes)
*Listas de reis – Meni, Teti, Iti.
*Nome – Iti
 
-------------
 
 
 
 
 
 
'''Hórus Djer'''- seu nome significa ''Hórus que socorre''. Do seu reinado vêm as primeiras notícias que se tem, de expedições militares fora das terras do Egito, uma expedição à Ásia. Segundo o mesmo Maneton (já citado acima), Djer foi um grande médico. Maneton afirma que Djer escreveu tratados de anatomia e tratamento de doenças e que 3000 anos após sua morte esses tratados ainda eram usados. <br>
O túmulo de Djer está em Umm el-Quab, em Abydos.
 
'''Hórus Djet'''- Hórus Cobra, seu nome aparece numa estela, hoje no Museu do Louvre, que mostra uma serpente erguida no céu sobre muralhas fortificadas. <br>
'''Hórus Qaa'''- seu nome significa ''Seu braço está erguido'', e ele foi o último rei da primeira dinastia.<br>
As informações sobre seu reinado são poucas, ele é mencionado em inscrições em vasos e numa estela danificada onde aparece usando a Coroa Branca do Alto Egito e sendo abraçado pelo deus Horus.<br>
Provavelmente foi sepultado em Abydos, na tumba Q. Nesta mesma tumba foram encontrados selos e artefatos com o nome de Hetepsekhemwy, o primeiro faraó da segunda dinastia. Isso sugere que não houve um período vazio entre as duas dinastias.
 
==Faraós da Segunda Dinastia==
2 908

edições

Menu de navegação