Diferenças entre edições de "Civilização Egípcia/Período dinástico antigo"

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
 
-------------
 
 
[[File:Maat.svg|thumb |right|100px |Maat]]
==Religiosidade e Poder==
É importante compreender a base da religião egípcia para poder olhar ''com um olhar egípcio'', toda a grandeza dessa civilização. <br>
Quando o ''Ser Divino'' cria o universo, emite o primeiro raio solar que afasta as trevas. Essa força é o casal divino Shu (deus da luz, sopro da vida) e Tefnut (deusa que encarna o calor). <br>
Shu e Tefnut tem dois filhos: Nut a deusa do céu e Geb o deus da terra. <br>
Geb se torna o primeiro rei do Egito, engravida sua irmã e nascem: Osíris, Isis, Seth e Néftis. <br>
Osíris se torna rei do Egito e tem um filho com sua irmã Isis, chamado Hórus. <br>
Osíris é assassinado por seu irmão Seth. Hórus cresce e vinga a morte do pai, assassinando seu tio Seth e tomando o trono do Egito. <br>
[[File:Seth horus.jpg|thumb |left|200px |coroação do faraó por Seth e Hórus]]
Essa é a história dos reis divinos, depois dela, começa a história dos homens. <br>
Dessa forma podemos compreender porque o rei do Egito é a encarnação do deus. Cabia a ele manter, no mundo real, ''o Maat'', que são os princípios encarnados por Maat, a deusa da verdade e da justiça. Ela representava a harmonia do cosmos e da sociedade humana. <br>
Portanto, sobre os ombros dos faraós, repousava a imensa responsabilidade de manter a prosperidade do país, protegê-lo dos perigos, zelar pelo bem estar e pela paz de seu povo, pois, ele era o deus! <br>
Todas as artes e conquistas, em todos os aspectos da vida diária no Egito, temos bem marcada a ligação com os deuses. Na verdade, esses deuses eram muitos, tanto em forma de animais como uma mistura entre a forma humana e animal. <br>
Com o advento da unificação dos nomos, alguns deuses prevaleceram sobre outros. Os sacerdotes tiveram que usar muita diplomacia e não se sabe que pressões mais, para agradar todas as tribos (isso não exclui guerras internas em alguns períodos). <br>
É interessante notar que, embora Hórus e Seth sejam inimigos que lutam pela herança do país, o nome Hórus passou a ser o nome dos faraós, talvez apenas depois da segunda dinastia porque Peribsen usou em seu serekh o símbolo de Seth. Já o faraó Khasekhemwy se refere aos dois poderes, Hórus e Seth e usa os símbolos dos dois deuses com a inscrição ''Os dois senhores descansam nele''. Poderia talvez significar um símbolo da paz entre os dois deuses. <br>
==Escrita==
O fator primordial para o desenvolvimento de qualquer povo é a escrita, a criação de símbolos para registrar idéias. <br>
A invenção da escrita deve ter ocorrido primeiro na Mesopotâmia, mas logo chegou ao Egito. A forma primitiva de escrita egípcia, o hieróglifo ou escrita sagrada, jamais foi abandonada. <br>
É importante lembrar que os egípcios já possuíam um tesouro chamado papiro, planta que além de decorativa servia para fazer desde velas de barco até sandálias, e principalmente a folha de papiro, base da escrita. As hastes de papiro chegavam a 3 metros de altura e bastava cortá-las e prepará-las para obter a folha perfeita para escrever. <br>
No inicio, quase toda escrita era entalhada nas pedras, especialmente nos templos. Depois, com o papiro, a cultura egípcia se expandiu dando vazão a uma rica literatura. <br>
Havia duas formas mais fluentes de escrita:
*hierática – era uma forma simplificada da escrita hieroglífica e podia ser feita com rapidez, usando um pincel sobre a madeira ou uma pena de junco sobre o papiro. <br>
*demótica – ou escrita popular, que é um aperfeiçoamento da escrita hierática e é apropriada para ser escrita sobre papiros. Essa forma surgiu por volta de 700 a.C. <br>
Graças à escrita a história do Egito foi preservada e hoje, o grande tesouro, o mais esperado em qualquer escavação é a possibilidade de encontrar novos textos, novas pistas para aprimorar o conhecimento. <br>
Não é possível deixar de mencionar aqui a famosa ''Pedra de Roseta'', que permitiu que os hieróglifos fossem finalmente decifrados. Essa ''Pedra'', é um bloco de granito negro e foi encontrado por um soldado do exército francês, no Egito em 1799. Gravado no ano de 196 a.C., no bloco há uma homenagem emitida pelos sacerdotes egípcios ao faraó Ptolomeu V Epifanes. A grande importância da Pedra de Roseta, é o fato desta homenagem ter sido escrita em três escritas diferentes: na hieroglífica, em demótico e em grego. Mesmo assim, Jean François Champollion levou 23 anos ainda, para decifrar a escrita egípcia. <br>
 
 
 
-----------------
 
 
 
 
 
 
 
A pintura não tinha profundidade, o tronco da pessoa representada ficava sempre de frente para o observador enquanto a cabeça, as pernas e os pés eram vistos de perfil. Usavam cores e representavam as pessoas mais importantes em tamanho maior, as figuras iam diminuindo de acordo com a sua importância. As figuras femininas eram pintadas de ocre e as masculinas de vermelho. <br>
Os hieróglifos a principio eram talhados em pedra, mas, depois os egípcios descobriram outros materiais para escrever. Graças à escrita nas paredes dos templos, nos monumentos e em rolos de papiros, ficaram para nosso conhecimento histórias de conquistas, poemas, louvores, cálculos, lendas e o mais interessante, os papiros médicos. <br>
[[Image:Plant Papyrus.jpg|thumb|100px|right|Papiro, a planta]]
O papiro é uma planta que, além de decorativa foi um tesouro para os antigos egípcios. As hastes do papiro, com dois a três metros de altura, eram cortadas em pequenos pedaços, descascadas e a isso se seguia uma série de procedimentos até se obter a folha de papiro. <br>
Da haste da planta também faziam velas de barcos, cordas, sandálias e cestos.
Essa planta, tão bela e tão útil, que não dava trabalho algum, a não ser o de cortá-la, só era superada em utilidade pelo trigo. <br>
 
O papiro era o símbolo do Baixo Egito e o cetro das deusas era feito com sua haste. <br>
A propósito, o símbolo do Alto Egito era o lótus. <br>
 
=== Religiosidade ===
2 908

edições

Menu de navegação