O preconceito acadêmico

Ir para: navegação, pesquisa

Esta é a síntese do que foi colocado pelos participantes até agora:

  1. OTAVIO:
  • O conteúdo é ruim.
  • As ferramentas são eficientes, mas o número de pessoas é pequeno.
  • Melhorar o conteúdo, aumentando o número de acadêmicos contribuintes.
  1. NEVINHO:
  • Citar fontes fiáveis => Isso já é prerrogativa do Wikilivros, pede-se que coloquem referências bibliográficas nos livros. Acho que seria ótimo para a wikipédia, wikiversidade e afins, que fosse adotado um modelo semelhante.
  1. RAYLTON:
  • Simplificar a edição. Sintaxe wiki é barreira.
  • Funcionalidade nova: "Page triage"
  • Valorizar os acadêmicos e abandonar o (instinto humano de procurar provar que está certo mesmo estando errado).
  1. ANALFABETA:
  • Número de editores ativos não é suficiente.
  • Ter usuários para substituir aqueles que se ausentam.
  • Identificar a escolaridade dos editores.
  1. HELDER
  • Nova funcionalidade: "Global profile" - um meio de identificar melhor os usuários, explorando todas as características dos colaboradores.
  1. OZYMANDIAS:
  • O problema não é nosso. É reação inercial do corpo docente.
  • A cultura da "autoria" é uma barreira.
  • Melhorar o nosso conteúdo com o tempo é um caminho.
  • Contra a identificação da escolaridade dos usuários.
  1. MINHAS CONSIDERAÇÕES:
  • O conteúdo do wikilivros está, há anos, incompleto e sem revisão;
  • A euforia inicial dos participantes, parece enfraquecer ao longo do tempo até acabar;
  • Em algumas discussões prevalece o instinto humano (ter que estar certo sempre perante os outros, jamais ceder um milímetro da posição), o que afasta e desestimula muitas pessoas;
  • A maioria quer fazer "o seu livro", a cultura da "autoria", o oposto do que sugere a idéia de wiki;
  • Há professores que são autores de livros, palestrantes, congressistas, etc (Ganham seu dinheiro com atividades que estamos oferecendo gratuitamente);
  • Há professores incentivadores dos movimentos "open source";
  • Referências são sim, indispensáveis, tanto de editores como de fontes;
  • Os vândalos tomam muito tempo dos administradores;
  • Minha preocupação com o conteúdo dos outros livros, atrapalharam, e muito, as minhas pesquisas para elaboração de textos;
  • Noto uma excessiva preocupação "cosmética" no projeto e uma gama pequena de editores dispostos a contribuir com conteúdo didático efetivamente;
  • Pessoas como a "Analfabeta", "Raylton", "Salles", "Dante", "Alustriel", "Helder", "Jorge Morais", entre outros, são conteudistas;

Há perguntas fundamentais:

  • O que pode motivar as pessoas a contribuir com o wikilivros?
  • Qual o retorno para a vida das pessoas que contribuem? (visibilidade?,prazer em escrever?, prazer em viver em comunidade?,...)

Irei pensar em um modo de incentivar professores a serem revisores de conteúdo e contribuidores. Para isso, teremos que refletir tudo isso e devemos nos respeitar, acima de tudo. Qualquer opinião é importante. Os meios que já existem devem ser usados neste interim, acho que não devemos esperar pela MWF para sermos proativos. Já pensei em escrever uma carta formal e pessoal a ser entregue por universitários e acadêmicos aos professores, convidando-os a participar. Afinal, quem faz parte do projeto quer ter orgulho de ter contribuido, sendo um defensor nato.

Marcos A. N. de Moura (Discussão)22h34min de 17 de março de 2012

Também tenho a impressão de que no caso do Wikilivros há mesmo uma tendencia (maior do que na Wikipédia) de se querer começar "o seu" próprio texto, e não de "colaborar". Talvez pareça ser mais fácil. Mas quando se percebe a real dimensão do trabalho que dá fazer um livro, didático, de qualidade, colaborativamente, o resultado são livros que ficam pela metade (e às vezes nem chega a tanto).

Escrever uma definição de dicionário, uma citação, ou um parágrafo de um artigo enciclopédico parece ser uma tarefa mais fácil, e talvez por isso existam (?) mais pessoas interessadas na produção deste tipo de material. Já a escrita de um livro costuma exigir que sejas feitas diversas escolhas ao definir o seu escopo e seu conteúdo, e cada pessoa pode querer seguir um ponto de vista diferente. Além disso, para torná-lo s realmente didáticos é preciso certa habilidade na escrita, para usar uma linguagem que seja apropriada ao público alvo, e ter um feeling para decidir a quantidade adequada de detalhe que deve haver nas explicações, para avaliar a pertinência de um ou outro exercício/atividade/problema (que também não podem ser simplesmente copiados de livros existentes, por causa dos direitos autorais). Não é raro ver pessoas com a melhor das intenções que tentam ajudar a aprimorar um livro por meio de uma simples cópia de um artigo da Wikipédia no lugar em que estaria um capítulo de um livro daqui (e geralmente o fazem sem indicar a autoria).

Helder01h07min de 18 de março de 2012

Nossa! Tenho realmente muito a dizer sobre isso... Vou terminar de assistir meu anime(quem assiste sabe que não da pra parar) e venho falar =D

Raylton P. Sousa qualquer coisa estou aqui! =D20h01min de 18 de março de 2012

Raylton,

Fique a vontade...

Eu também tenho 2 trabalhos em formato ABNT para entregar na faculdade, tenho minha declaração do imposto de renda pra fazer, tenho um programa pra terminar, tenho um filho de 6 anos pra dar atenção, tenho psicólogo para ir(estou em tratamento de estresse ou "stress"), tenho que participar de comunidades on-line como facebook e yahoo (recomendação médica destinada a retirar o efeito estressante da vida em geral), tenho que fazer atividade física( a pedido médico também ), também tem umas coisinhas domésticas próprias de quem tem sua própria residência e vive longe dos parentes, etc...

Então, eu entendo perfeitamente como seu animé ocupa seu tempo.

Marcos A. N. de Moura (Discussão)17h57min de 19 de março de 2012
 

Síntese da explanação do Helder:

  • Editar um livro exige muito mais que um artigo enciclopédico, verbete de dicionário, etc;
  • Editores, em geral, têm dificuldades na escrita formal;
  • Contribuidores têm pontos de vista diferentes para projeto de um mesmo livro;
  • A colocação de textos copiados de outros originais é comum por pessoas que não conhecem as regras que restringem o uso de textos sob "copyright";

Obrigado Helder, estou adicionando isso tudo ao meu mapa mental, não sei se você conhece, mas tem facilitado minha vida.

Marcos A. N. de Moura (Discussão)17h40min de 19 de março de 2012

Na verdade o anime foi só o que estava fazendo na hora... =D, mas fico feliz que partilhe suas experiencias pessoais conosco... Sabe... Acabei percebendo que tudo(ou quase tudo) que sabemos uns dos outros é o que aparece nas mudanças recentes. Gostei da ideia. Vou falar de mim também:

Eu não tenho esse montão de coisas pra fazer, mas também faço atividade física(ginástica/musculação) e tenho trabalhos para entregar. Além disso estou ensinando minha irmãzinha a ler(estou adorando). Fora essas tarefas fixas divido meu tempo entre varias coisas, e muitas delas são lazer. Como o Wikibooks, assistir anime, tocar violão, aprender inglês, aprender programação, ler a Desciclopédia, ver o por do sol, usar o Facebook (onde além de toda aquela cultura pop é onde marcamos as reuniões de ativismo político de fim de semana) etc.

Enfim... Faço algumas poucas coisas por diversão e é isso que me faz continuar fazendo todas elas, é porque é divertido pra mim. Acho que se alguma dessas coisas virar um compromisso rotineiro e chato eu vou por todos os meus bagulhos num saco e ir embora. E fico feliz que entenda que os animes façam parte da minha vida assim como o books =D Afinal, algumas dessas coisas podem até parecer inúteis, mas precisamos delas, né? é o que gostamos de fazer... =D

Pronto... agora que nos conhecemos melhor, deixa eu responder o tópico =P

O que pode motivar as pessoas a contribuir com o wikilivros? Qual o retorno para a vida das pessoas que contribuem? (visibilidade?,prazer em escrever?, prazer em viver em comunidade?,...)

Acho que ao entender nossos próprios motivos podemos entender os motivos dos outros.

Eu entrei no Wikilivros porque eu sou da informática

Eu me lembro que li em algum lugar que a Wikipédia poderia ser editada por qualquer um(porque na época eu não sabia, e devemos combinar que pra quem não sabe aquele botão de editar é ignorado).

Eu era muito jovem na época(12/13 anos) e como tal era bobo e imaturo, Certo dia eu cheguei a vandalizar um artigo da wikipédia que nem me lembro mais. O que atualmente me prova que a primeira coisa que vem a mente de um jovem(com poucos valores formados) ao saber que a Wikipédia pode ser editada, é vandalizar.

Por isso sempre assumo boa fé dos vândalos levando em conta que deve ser um moleque imaturo do outro lado.

Algum tempo se passou e eu continuei amante da informática. E como todo jovem que gosta de informática eu queria ser um Hacker(que na época eu entendia ser o mesmo que Cracker). Chegava sonhar em desligar o PC de um coleguinha de sala e chegar no outro tirando onda de hacker (na verdade eu consegui isso pouco tempo depois com um "shutdown -s" dentro de um .bat zipado e enviado por MSN).

No entanto essa fase idiota, foi interessante porque eu lia muito sobre redes na Wikipédia. Criei um chamego com ela. Tudo que eu queria pesquisava lá. Acabei aprendendo HTML, TCP/IP por lá e também eu outros lugares...

Agora já se passara mais algum tempo eu já não queria tanto ser um Hacker... isso porque meu amigo da escola me mostrou um texto do bloco de notas se transformando em um céu estrelado(que hoje sei que é JS). Agora eu estava decidido a ser WebDesigner.

E isso acarretou muito aprendizado. Até que certo dia no curso de redes me apresentaram o linux por esse video(que na época era um lançamento).

Eu fiquei maluco e logo fui instalar. Mais era estranho e diferente e resolvi aprender... Aprendi sobre software livre, tive contato com a comunidade linux. E procurando um bom manual me deparei com o Guia Foca Linux.

Na época eu já sabia que a Wikipédia era livre assim como o linux. E como o o guia foca era também, eu fiz a pequisa com seu nome buscando achar alguma descrição na wikipédia: pesquisei por guia foca wiki.

Eu não sabia, mas essa pesquisa mudaria minha vida para sempre... "Eu estava no Wikilivros! Os livros abertos por um mundo aberto". O que mais uma pessoa que gosta do software livre poderia querer?

Daí pra eu querer completar o wikilivro sobre o guia foca foi daqui pra ali.

Foi também a primeira vez que eu realmente percebia o código wiki(embora antes já tivesse editado/vandalizado). Foi estranho para mim porque eu esperava que fosse pelo menos HTML, mas não era... Mas no fim foi fácil, era só um coisinha a mais pra aprender.

O que tiro dessa experiencia é que uma pessoa começa a contribuir, por que ela começa a ler e também quando ela sabe que pode editar, no entanto existem muitos fatores que fazem a pessoa enxergar o projeto, mas a maioria envolve o aumento de conteúdos.

E existem também barreiras que impedem a edição, eu se não gostasse de informatica provavelmente teria desistido da edição no momento em que me deparei com aquela "syntax wiki". E quando me deparei com a organização dos livros manualmente e aquela trabalheira de categorização, teria desistido facilmente.

Se a comunidade não me recebesse bem eu também teria desistido. Sabe... editar um livro é como ir ao cinema assistir uma comédia. Você pode ir sozinho, mas se for acompanhado de amigos será muito mais divertido, você vai ficar ansioso para ir a próxima vez.

Assim é a edição, Posso citar o Mário e a Analfabeta. Certo período quando os chamei para editar alguns livros eles ficaram animados, mas depois quando eu saí um pouco(para trabalhar no software que é um pré-requisito dos livros) eles diminuíram o ritmo... Isso porque editar sozinho é um saco. Sem ter ninguém pra dizer se ficou bom, ou sugerindo melhorias, ajudando a melhorar. Sei que eles querem ajudar, mas são como eu, editam enquanto for legal =D.

Quanto ao retorno para a vida da pessoa, faço minha as suas palavras: "...Eu sei que você tem algo que te estimula, todos temos, encontre o seu estímulo e alimente-o..." que são ratificada pelas do Helder: "...não precisa se preocupar com a possibilidade de toda esta trabalheira com a qual eu me envolvo não ser útil ao(s) projeto(s) no fim das contas: eu só me disponho a fazê-las porque ganho muito com isso (aprendo programação, tenho mais contato com outros idiomas, exercito a criatividade, e eventualmente tenho a chance de trazer soluções para coisas que incomodam as pessoas há tempos... e tudo isto já é suficientemente gratificante!)..."

Xi... Escrevi demais =S

Raylton P. Sousa qualquer coisa estou aqui! =D15h12min de 23 de março de 2012

Concordo com a turma que trabalha ativamente, fora de seus afazeres habituais prá manter o wiki funcionando. Como disse meu amigo Raylton:

E existem também barreiras que impedem a edição, eu se não gostasse de informatica provavelmente teria desistido da edição no momento em que me deparei com aquela "syntax wiki". E quando me deparei com a organização dos livros manualmente e aquela trabalheira de categorização, teria desistido facilmente.

Eu só segui em frente com o auxílio luxuoso dele...

Contribuir editando o conteúdo é mais difícil, porque eu teria que desmanchar praticamente um livro inteiro e refazê-lo e não me sinto a vontade para isso. Em outros casos, há livros que escapam ao meu conhecimento então... Enfim, vocês estão todos de parabéns pela boa vontade e perseverança com que mantém o wikilivros funcionando. Beijussssss

Alustriel (Discussão)18h49min de 23 de março de 2012
 

Minha nossa!!! Raylton, meus milhões de pedidos de perdão!!! Juro que não queria dizer o que você entendeu... Depois que li o início de sua resposta, que só tive um breve intervalo de tempo, agora pra comentar (na verdade nem tenho), foi que ví a asneira que escrevi. Na verdade o que eu queria era que você usasse o seu tempo pra ver anime a vontade (ai que saudade do meu videogame, gibis, desenhos animados...), porque eu não via espaço de tempo pra ler tudo que você tinha pra escrever. Então queria dizer que você tinha muito tempo pra aproveitar, porque eu estaria muito ocupado. Estaria não, estou. Foi só falar... Agora que tenho 4 trabalhos pra entregar, duas listas de exercício e vou voltar a trabalhar na semana que vem!

Portanto, não se preocupe, MESMO... Eu volto quando puder e sintetizo suas colocações pra colocar no meu mapa mental. Não se preocupem, esse sufoco não vai me levar de volta pro stress. O que me levou ao stress foi: Meu cunhado teve um infarto e tinha que fazer pontes de safena, minha sogra está com depressão, meu sogro teve um AVC, meu pai estava com problemas de coluna, meu filho está em tratamento por tempo indeterminado e, na époco, eu tinha pressão no trabalho pra entregar dois projetos. (Meu irmão... acho que ninguém ia aguentar isso tudo ao mesmo tempo).

Tchau galera!!! Até quando der...

Marcos A. N. de Moura (Discussão)19h51min de 24 de março de 2012

A discussão saiu um pouco do foco principal... Estou sem tempo para entrar no wikilivros então só devo aparecer daqui alguns dias, mas acho importante ressaltar uns pontos:

  • A plataforma da wiki(código wiki) é péssima como um todo, pelo comentário do Rayton me lembrei disso, somente quem tem vontade de aprender ou gosta de coputadores vai editar. Devemos pensar que o usuário não se deve adaptar ao sistema e sim o sistema ao usuário, Mas isso é um problema de todas as wikis.
  • Não existe como imaginar uma escola adotando um material que não seja certificado/validado por um professor que tenha no mínimo uma pós-graduação. Por que não usar um livro tradicional? Vale ressaltar que não estou dizendo todo editor tem que ser professor, somente alguém que diga essa edição do dia tal do livro X é boa e aceitável nos padrões especificados pelo MEC.
  • Deveríamos ter um foco principal do projeto, para colocar a comunidade em torno de metas comuns(já havia falado isso antes para alguém, não lembro quem), assim os livros "mais importantes" seriam priorizados. Exemplo seriam os do projeto Livro aberto

Diferenciar os diferentes públicos alvos criando abordagens diferentes(Teríamos as metas da comunidade divida por idade e escolaridade, por exemplo metas para quem tem ensino fundamental, quem cursa ensino médio, quem tem ensino médio completo, universitários e professores para que ele pudesse saber onde seria mais útil). Isso não quer dizer que ficaria impedido de editar no resto da wiki e sim que o foco é ali.

A questão de metas centrais descentraliza o trabalho criando uma evolução em áreas de prioridades(uma espécie de operação tapa buracos) para depois deixarmos o projeto de forma descentralizada ganhar conteúdo. É claro que os livros ficarão bons a questão é daqui a 2 anos ou 5?

  • Ampliação dos debates sobre os temas e editores por livro ajudariam a aumentar a qualidade, como não somos na maioria graduados sobre assuntos que escrevemos somente debates proporcionariam material de maior qualidade


Portanto voltamos a questão chave como atrair novas pessoas para o projeto, o que elas ganham com isso e como facilitar para elas editarem? Para reforçar essa ideia olhem [[1]] [[2]] e tirem suas conclusões

Analfabeta21h47min de 21 de abril de 2012

A discussão ia bem perdemos o foco.

O problemas já estão mais ou menos identificado e com aquela lista do Marcos fica fácil visualizar os principais. Enfim não tivemos nenhuma mudança de prática na verdade.

Sabendo dos problemas o que podemos mudar e melhorar?

Analfabeta15h20min de 5 de dezembro de 2012
 
 
 
 
 

Problema:

  • Posição sempre nas últimas páginas do google-Baixa visibilidade- Exemplo termodinâmica não estamos nem na 5 página

Citação: Melhorar o conteúdo, aumentando o número de acadêmicos contribuintes. escreveu: «{{{2}}}» Citação: O problema não é nosso. É reação inercial do corpo docente. escreveu: «{{{2}}}» Citação: Valorizar os acadêmicos escreveu: «{{{2}}}»

Primeiramente dividirei os possíveis editores

  1. Jovens 10/11 até 15 anos- Ensino Fundamental
  2. Jovens entre 15 e 18 anos- Ensino Médio
  3. Universitários entre 18 e 25 anos
  4. Professores 25 e 35 anos
  5. Professores acima de 35 anos
  6. Profissionais 25 e 35 anos
  7. Profissionais acima de 35 anos
  8. Produtores de informação (blogs, foruns, sites)

Algumas considerações

  • Foi proposto a utilização de rede sociais pela Wikipédia(alguém saberia como fazer isso)- Teríamos efeitos sobre 1 e 2

Citação: Já pensei em escrever uma carta formal e pessoal a ser entregue por universitários e acadêmicos aos professores, convidando-os a participar. Afinal, quem faz parte do projeto quer ter orgulho de ter contribuido, sendo um defensor nato. escreveu: «{{{2}}}»Ele queria dizer para enviar via e-mail ou deixar no site? Se for a primeira vejo alguma chance de ter um resultado mas seria pequeno, teria que ser para várias pessoas.

Entretanto não gosto pois pareceria spam não sei se é uma boa ideia.

  • Facilitar a chegada de novos usuários(17 chegaram de janeiro a outubro não podemos perder-los)Citação: 38% dos editores que deixaram ponto para a atmosfera desagradável e "alguns outros editores" sobre as razões que deixaram; esse número sobe para 61% para editores com 10 + edições por mês. escreveu: «Wikipédia anglofonica»Nós temos esse problema?
    • Diminuir o número de páginas para se ler para editar
      • Reformular a ajuda. NNota:Estava traduzindo um wikilivro da anglofonica, mas hoje vejo que o segredo não é a quantidade de informação é uma instrução de 5 a 10 minutos para que já possa editar. Posteriormente podemos fornecer mais informação.
      • Simplificar as páginas
    • Talvez a ideia do Rayton de integrar o perfil com um histórico na resolução de exercício fosse boa, porém somente em 2 ou 3 anos quando o número de questões aumentar
    • Criação de uma página lista de interesse para quem quer editar em equipe, dividido em história, geografia, artes... Citação: Isso porque editar sozinho é um saco escreveu: «{{{2}}}»
    • Como burlar o medo de editar-cometer erros
    • Criar um programa de tutoria, se tivermos um tutorado já é lucro- Qual o custo de se manter(para diminuir nosso gasto de tempo 2 tutores por tutorado se possível)
    • Troca do nome eliminar por algo mais leve(acho que alguns nomes espantam usuários como se houvesse punições severas por erros pequenos
    • Como facilitar a sintaxe?
      • Diminuir o número de predefinições que se aprende incialmente ao básico e minímo
  • Contactar ONGs ligadas a educação, meio ambiente... que tenham material didático ou interesse em produzir
    • Como contactar- somente via e-mail? [1]
  • Integração com outras wiki
    • Campeonatos de edição conjunto(não gosto de campeonatos, mas teria efeito interessante)
    • Aumento da ligações entre os projetos
  • Utilização do sitenotice para divulgar mensagens de ajuda a edição
  • Falta de uma política de integração entre as wikis que melhoraria nossa qaualidade dando a cada um sua responsabilidade e criando uma complementariedade. Principalmente em relação a divulgação e integração de conteúdos.
Analfabeta16h53min de 5 de dezembro de 2012