Civilizações da Antiguidade/As primeiras civilizações

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Ir para: navegação, pesquisa
As Primeiras Civilizações
ruínas de Ur


Em primeiro lugar precisamos saber o que se entende por civilização. Como a civilização começou?

Vamos considerar algumas palavras como:

Civilização – civis = cidadão (latim)

Urbano – urbes = cidade (latim)

Político – polis = cidade (grego)

Então vamos definir que a civilização é a vida nas cidades.

Portanto vamos estudar as primeiras civilizações baseados nos povos que construíram e viveram em cidades, modificando o ambiente e criando pontes entre o próprio homem e a natureza.

Nos períodos Paleolítico e Neolítico certamente o homem construía seus abrigos, suas casas, mas ao que se sabe, nada de parecido com uma cidade.

As primeiras cidades tal como as conhecemos surgiram no Oriente e podemos dizer que a primeira delas foi Uruk, por volta de 4500 e 3750 a.C. na região chamada Mesopotâmia. Hoje essa cidade é Warka e fica no Iraque.

Portanto podemos chamar a primeira civilização conhecida de Suméria e localizá-la no sul da Mesopotâmia, atual Iraque.

Babilonia

Essa afirmação provêm de estudos e pesquisas que provam que a civilização suméria era composta por diversas cidades e possivelmente Uruk era a maior delas, mas todas eram bastante desenvolvidas.

As cidades eram muradas e possuíam ruas, casas, prédios públicos, templos e palácios. Temos então, o homem causando modificações no entorno natural, que podem ter sido intencionais ou não.

Assim como na Suméria, na Assíria, na Babilônia e no Egito que serão focalizados em outros módulos, esses povos viveram em cidades, das quais sobraram ruínas para contar sua história.

Uma cidade surpreendente e que talvez seja um exemplo único é Amarna, no Egito. Construída pelo faraó Akhenaton, que rompeu com a religião formal do seu país, a cidade ficou ocupada por menos de vinte anos, talvez. O grande interesse na cidade de Amarna é o fato de que não houve construções gigantescas em pedra, como nas outras cidades e também nada foi construído sobre o que existia.

Praticamente era tudo construído em tijolos de barro que não resistiram ao tempo, mas deixaram um testemunho da vida das pessoas comuns no Egito da época.

ruínas de Abu Mena, Egito

As fundações permitem um estudo das casas dos ricos e dos pobres, suas divisões ficaram preservadas de modo que se pode saber que o centro da cidade era dedicado ao complexo real. Templos, palácios, residências dos nobres e sacerdotes. Longe do centro, ficavam os subúrbios onde havia casas pobres e ricas e mais distante ainda ficavam os bairros dos trabalhadores.

Um dos subúrbios era habitado pelas pessoas que trabalhavam na necrópole, eram os pintores, os pedreiros, todos os que tinham funções relacionadas com a construção das tumbas. Suas casas eram pequenas mas tinham vários aposentos e eram separadas por ruelas estreitas.

Com o fim do reinado de Akhenaton, a cidade foi abandonada mas permanece como uma oportunidade única de estudo.